Select Menu
» » » Astrônomos descobrem uma estrela tão fria quanto gelo
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

A máxima “quem procura, acha” vale especialmente para os astrônomos que passam dias e mais dias varrendo o universo em busca de novos conhecimentos. A descoberta da vez é um objeto pra lá de estranho, que recebeu o nome (também estranho) de WISE J085510.83-071.442,5.
O objeto, que fica a “apenas” 7,2 anos-luz da Terra, foi verificado pelo WISE (sigla para Wide-field Infrared Survey, um telescópio espacial da NASA) e classificado como sendo uma “anã marrom”.
As anãs marrons são objetos parecidos com estrelas, mas que são mais massivos que planetas – só que não massivos o suficiente para inflamar a fusão sustentada em seus núcleos. Por exemplo, a fusão de hidrogênio é o que alimenta o sol, e o torna quente; e é a poderosíssima pressão de seu núcleo que faz isso acontecer. As anãs marrons não são planetas, então, porque não tem força suficiente para manter esse fluxo contínuo de reações.
E porque não são estrelas? Porque são muito menores e mais frias. Elas de de fato nascem quentes, mas vão esfriando ao longo do tempo. E essa de que estamos falando, a recém-descoberta WISE J085510.83-071.442,5, é tão fria quanto o próprio gelo – o que pode ser uma boa dica a respeito de sua idade. Se ela nasceu com alguns milhares de graus, teria levado cerca de algo entre 1 e 10 bilhões de anos para chegar a temperatura glacial em que se encontra hoje.

A descoberta

Justamente por serem tão menores e mais frias que as estrelas, as anãs marrons parecem vermelhas e fracas. Mas o astrônomo Kevin Luhman notou que a WISE J085510.83-071.442,5 era muito vermelha e muito fraca, em parte porque ela é pequena – talvez tenha apenas de 2 a 10 vezes a massa de Júpiter, e em parte porque é muito fria. Sua temperatura, Luhman descobriu, é de apenas cerca de -13°C, o que é bem abaixo do ponto de congelamento da água.
Em outras palavras, essa anã marrom é puro gelo.

Conclusões precipitadas

Apesar de se parecer muito como uma anã marrom, os astrônomos concordam que ainda pode ser muito cedo para tirar conclusões a respeito de sua real natureza. Este objeto poderia ser parte do restrito grupo de planetas órfãos, por exemplo.
Fonte: io9Slate
Tradução: Hypescience

......................

Autor Felipe Sérvulo

Graduado em Física pela UEPB. Mestrando em Cosmologia, gravitação e física das partículas pela UFCG. Possui experiência na área de divulgação científica com ênfase em astronomia, astrofísica, astrobiologia, cosmologia, biologia evolutiva e história da ciência. Possui experiência na área de docência informática, física, química e matemática, com ênfase em desenvolvimento de websites e design gráfico e experiência na área de artes, com ênfase em pinturas e desenhos realistas. Fundador do Projeto Mistérios do Universo, colaborador, editor, tradutor e colaborador da Sociedade Científica e do Universo Racionalista. Membro da Associação Paraibana de Astronomia. Pai, nerd, geek, colecionador, aficionado pela arte, pela astronomia e pelo Universo. Curriculum Lattes: http://lattes.cnpq.br/8938378819014229
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga
Comentários
0 Comentários

Newsletter