Select Menu
» » » » Mistério de 20 anos sobre quasares finalmente resolvido
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Um quasar, o tipo mais brilhante de objeto no universo, é visto liberando enormes quantidades de energia quando as estrelas são destruídas perto do buraco negro supermassivo de uma galáxia vista nesta ilustração artística. 
Crédito: NASA / JPL-Caltech
Quasares são os objetos mais brilhantes do universo, e apresentam uma diversidade misteriosa em sua aparência que tem intrigado os astrônomos por mais de duas décadas.

Agora, os cientistas dizem que esse mistério pode ser resolvido apenas olhando para duas características simples dos quasares: a rapidez com que a matéria está sendo alimentada nos quasares e a  direção de onde os quasares são vistos.

Quasares  são buracos negros supermassivos até bilhões de vezes a massa do sol que vivem nos corações das distantes galáxias massivas. Eles liberam extraordinariamente grandes quantidades de luz como e podendo até rasgar estrelas..

Estudos anteriores de quasares descobriram que as propriedades físicas dos objetos seguiram definidas por tendências regulares - por exemplo, o tamanho de um quasar está relacionado com a sua massa. No entanto, apesar de tais tendências, por algum motivo intrigante, os quasares podem variar muito em aparência em luz visível e ultravioleta.

Para ajudar a resolver este mistério, os cientistas examinaram a maior amostra de observações dos quasares  - dados de mais de 20 mil quasares capturados pelo Sloan Digital Sky Survey. A análise estatística da colaboração revelou que a aparência de quasares poderia ser explicada principalmente por dois factores fundamentais.

"Nosso trabalho resolve uma de duas décadas de mistério em pesquisa de quasares", disse o Yue Shen, um astrônomo nos Observatórios Carnegie em Pasadena, na Califórnia. 

O primeiro elemento é a assim chamado razão Eddington - a luminosidade de um quasar comparada com a sua massa. Esse índice prediz quão rapidamente a matéria irá cair em um quasar, e foi suspeitada por muito tempo a desempenhar um papel importante em muitas vezes por variadas aparências de quasares.

O outro fator é a direção de onde os astrônomos olham para um quasar, o que influencia o quanto as nuvens de gás podem ser vistas mais próximas do buraco negro. Este gás em rápido movimento produz uma ampla gama de comprimentos de onda de luz, afetando significativamente a aparência de um quasar, e estes resultados sugerem que essas nuvens são dispostas em um disco achatado, explicando por que a direção de onde eles (os quasares) são vistos pode importar tanto.

"Nossas descobertas têm implicações profundas para pesquisa de quasares ", disse Shen em um comunicado. "Este esquema de unificação simples apresenta um caminho para entender melhor como os buracos negros supermassivos acrescem matéria e interagem com seus ambientes."

"Além disso, estes resultados irão ajudar a melhorar futuras medições de massas de buracos negros, que por sua vez irá ajudar os cientistas a entender melhor o crescimento cósmico de buracos negros supermassivos e seu lugar na formação de galáxias", disse Luis Ho, pesquisador no Instituto Kavli para Astronomia e Astrofísica da Universidade de Pequim,.         

Traduzido de: Space.com

......................

Autor Felipe Sérvulo

Graduado em Física pela UEPB. Mestrando em Cosmologia, gravitação e física das partículas pela UFCG. Possui experiência na área de divulgação científica com ênfase em astronomia, astrofísica, astrobiologia, cosmologia, biologia evolutiva e história da ciência. Possui experiência na área de docência informática, física, química e matemática, com ênfase em desenvolvimento de websites e design gráfico e experiência na área de artes, com ênfase em pinturas e desenhos realistas. Fundador do Projeto Mistérios do Universo, colaborador, editor, tradutor e colaborador da Sociedade Científica e do Universo Racionalista. Membro da Associação Paraibana de Astronomia. Pai, nerd, geek, colecionador, aficionado pela arte, pela astronomia e pelo Universo. Curriculum Lattes: http://lattes.cnpq.br/8938378819014229
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga
Comentários
0 Comentários

Newsletter