Select Menu
» » » » » Como as dunas se formam?
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Você já visitou uma praia ou um deserto com dunas? Essas paisagens espetaculares criadas com muita areia e vento estão espalhadas por várias partes do mundo. A região brasileira dos Lençóis Maranhenses é uma delas, apresentando dunas incríveis intercaladas com belas lagoas de água cristalina.

É de conhecimento geral que a duna é um monte de areia formado pelo vento, geralmente ao longo de uma praia ou em um deserto. O processo de formação das dunas é complexo.

A maior parte da areia carregada pelo vento move-se como uma massa saltitante de grãos. As partículas mais grosseiras movem-se lentamente ao longo da superfície de deslizamento e são mantidas em movimento, em parte, pelo bombardeio dos grãos saltitantes. Através da variação da pressão no local, a areia se acumula formando as ondulações.

Cada duna tem um tipo de onda que identifica o lado de onde o vento está soprando e empurrando o material arenoso para cima. A face onde a duna desliza areia é simplesmente o lado que não pega o vento. As dunas também podem ser formadas por fortes correntes por debaixo da água. Dunas subaquáticas são comuns no oceano, rios e canais.

Formas de dunas
Fonte da imagem: Shutterstock

















As dunas podem ser grandes características geográficas ou apenas pequenas saliências, sendo que a maioria das dunas de areia é classificada pela forma. Há cinco principais formas de dunas: crescente, linear, estrela, cúpula e parabólica.

O lado largo de uma duna de crescente é onde o vento bate, com uma pequena ondulação, semicircular, do outro lado. Esse é o tipo de movimento mais rápido de duna e também o mais comum.

Já as dunas lineares formam linhas retas ou quase retas. Algumas dunas lineares são em forma de uma cobra sinuosa com curvas regulares. Dunas lineares desenvolvem onde as pressões de vento são quase iguais em ambos os lados do monte de areia.

As dunas Estrelas se desenvolvem onde os ventos vêm de muitas direções diferentes, como as que existem no deserto do Saara. As dunas em cúpula formam o topo mais raro, sendo circulares e sem deslizamento.

Dunas parabólicas são semelhantes às dunas em crescente. A forma é quase a mesma, mas o deslizamento de uma duna parabólica é no seu centro. Tanto que as dunas parabólicas também são chamadas de tufões, porque os ventos sopram para fora do centro dela, deixando apenas uma borda do lado de fora.


 ----------------------------------------------------------------------
| Fonte(s) 
National GeographicEl MundoBritannica |
 ----------------------------------------------------------------------

♦ Veja também ♦

O que há por trás dos buracos misteriosos que apareceram em dunas nos EUA?

......................

Autor Michael Nascimento

Graduado em Física pela UEPB. Mestrando em Cosmologia, gravitação e física das partículas pela UFCG. Possui experiência na área de divulgação científica com ênfase em astronomia, astrofísica, astrobiologia, cosmologia, biologia evolutiva e história da ciência. Possui experiência na área de docência informática, física, química e matemática, com ênfase em desenvolvimento de websites e design gráfico e experiência na área de artes, com ênfase em pinturas e desenhos realistas. Fundador do Projeto Mistérios do Universo, colaborador, editor, tradutor e colaborador da Sociedade Científica e do Universo Racionalista. Membro da Associação Paraibana de Astronomia. Pai, nerd, geek, colecionador, aficionado pela arte, pela astronomia e pelo Universo. Curriculum Lattes: http://lattes.cnpq.br/8938378819014229
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga
Comentários
0 Comentários

Newsletter