Select Menu
» » » Sabia que Cristóvão Colombo se livrou da morte graças a um eclipse?
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Como você sabe, Colombo “descobriu” a América em 1492, quando aportou com suas embarcações a uma ilha a noroeste de Cuba à qual ele batizou de San Salvador. Mas, segundo uma incrível história publicada pelo site Space.com, essa não foi a única vez que o genovês se aventurou por estas bandas. Ao longo de 10 anos após o descobrimento, o explorador fez outras quatro viagens ao novo mundo e, durante a última delas, ele se viu na maior enrascada.


Em maio de 1502, depois de partir do porto de Cádiz, na Espanha, com as embarcações Gallega, Santiago de Palos, Vizcaína e Capitana rumo à costa da América Central, Colombo foi obrigado a abandonar duas delas pelo caminho devido a uma infestação de cupins-do-mar. Os navios restantes acabaram chegando ao norte da costa da Jamaica em junho de 1503 e, em um primeiro momento, os náufragos foram bem recebidos pelos nativos.

Visitantes sem noção



Contudo, você já se viu na situação de receber aquelas visitas sem noção que nunca vão embora? Então, depois de alguns meses, os nativos começaram a se cansar de fornecer alimentos e abrigo em troca das bugigangas que os estrangeiros usavam como moeda, e foi apenas uma questão de tempo até que a situação se tornasse tensa.

Para piorar, a tripulação de Colombo se rebelou contra os anfitriões e acabou roubando e matando alguns dos nativos. Vendo que ficaria sem saída, o genovês esperto bolou um plano. Naquela época, um item indispensável em qualquer viagem — considerado tão importante quantos mapas e bússola — era um almanaque de autoria de Johannes Müller von Königsberg, um famoso astrólogo, cosmógrafo e matemático alemão, e nenhum marinheiro saía de viagem sem ele.

















Esse livro bendito continha informações detalhadas sobre a Lua, o Sol e os planetas, assim como listas das principais estrelas e constelações de interesse para os navegadores. Mais importante ainda para Colombo, o almanaque trazia tabelas que cobriam os principais eventos astronômicos de 1475 até 1506. O almirante, evidentemente, havia estudado o conteúdo da publicação com cuidado, e sabia que em fevereiro de 1504 ocorreria um eclipse total da Lua.

Pondo plano em ação

















Com essa preciosa informação em mãos, Colombo procurou o chefe dos nativos três dias antes do eclipse. O perspicaz genovês inventou que seu Deus cristão estava muito, muito, aborrecido com os locais porque eles haviam decidido deixar de fornecer teto e comida aos estrangeiros e que o todo-poderoso mostraria um sinal de sua fúria!

Segundo Colombo, o “mensageiro divino”, no período de três dias o altíssimo faria com que a Lua aparecesse inflamada pela ira no céu, e que isso seria o prelúdio de uma série de desgraças que se abateria sobre os nativos. Quando a Lua surgiu no terceiro dia, ficou claro que algo muito terrível estava acontecendo. Depois que apareceu completamente, não demorou para que uma pequena parte desaparecesse de sua extremidade inferior.


Trevas!





E você sabe como são os eclipses, não é mesmo? Pois, para a sorte de Colombo, os nativos não sabiam! Assim, pouco mais de uma hora depois do anoitecer, as trevas caíram sobre a Terra e a Lua pairava como se tivesse sido banhada de sangue. Segundo um dos filhos do almirante, Fernando, os habitantes locais ficaram aterrorizados e começaram a trazer provisões e abastecer os navios imediatamente, suplicando que Colombo intercedesse junto ao seu Deus.

Em troca do perdão divino e de que a Lua voltasse ao normal, os nativos prometeram que cooperariam com estrangeiros. Colombo, por sua vez, ainda bancou o importante, dizendo que precisava se retirar para debater a questão com o todo-poderoso. Durante esse período, o almirante ficou com os olhos grudados em uma ampulheta para não perder o desenrolar do eclipse e, algum tempo depois, retornou anunciando que os nativos haviam sido poupados.

E, como por milagre, a Lua começou a voltar ao normal gradativamente. Os nativos, aliviados, cumpriram com a promessa e mantiveram os homens de Colombo abastecidos e abrigados até que uma caravela enviada da Espanha chegasse e socorresse a tripulação alguns meses depois.


 --------------------------
| Fonte: Space.com |
 --------------------------

 ----------------------------
| Imagens: Wikipédia |
 ----------------------------

......................

Autor Michael Nascimento

Graduado em Física pela UEPB. Mestrando em Cosmologia, gravitação e física das partículas pela UFCG. Possui experiência na área de divulgação científica com ênfase em astronomia, astrofísica, astrobiologia, cosmologia, biologia evolutiva e história da ciência. Possui experiência na área de docência informática, física, química e matemática, com ênfase em desenvolvimento de websites e design gráfico e experiência na área de artes, com ênfase em pinturas e desenhos realistas. Fundador do Projeto Mistérios do Universo, colaborador, editor, tradutor e colaborador da Sociedade Científica e do Universo Racionalista. Membro da Associação Paraibana de Astronomia. Pai, nerd, geek, colecionador, aficionado pela arte, pela astronomia e pelo Universo. Curriculum Lattes: http://lattes.cnpq.br/8938378819014229
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga
Comentários
0 Comentários

Newsletter