Select Menu
» » » » Em vez de partículas, a matéria escura pode ser formada por grandes pedaços
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga


Há muito tempo, os cientistas acreditam que a matéria escura era formada por partículas, mas essa crença pode estar prestes a mudar. De acordo com novas observações, a matéria escura pode consistir em grandes pedaços de matéria que podem ser de quaisquer tamanhos, desde a dimensão de uma maçã até a de um asteroide.

A existência da matéria escura é verdadeira, apesar de os astrônomos ainda não saberem com absoluta certeza de que ela é formada. Porém, sabe-se que ela está lá pela sua interação com a matéria luminosa (as galáxias e todos os seus componentes) e a força gravitacional que ela exerce. Ainda assim, é um mistério para ciência.

Segundo Charles Q. Choi, do Live Science, em um novo estudo, os pesquisadores descreveram a sua ideia de que a matéria escura é feita de partículas que eles chamavam de "macros". Os cientistas teorizaram que, se estas partículas eram tão densas como núcleos atômicos, não podiam ser menores do que 55 gramas. Se fossem, os detectores de partículas existentes já teriam capturado.

Ao mesmo tempo, os macros não poderiam ser maiores do que um bilhão de trilhões de quilos, senão o seu campo gravitacional seria forte o suficiente para deformar a luz das estrelas, um fenômeno que os astrônomos ainda não viram também.
Formação

De acordo com os pesquisadores, estas partículas podem ter se formado no início do universo. Naquela época, o cosmos ainda era extremamente quente, chegando a temperaturas de mais de 3,5 trilhões graus Celsius, sendo comparável com a temperatura no centro de uma supernova massiva.

Nessas condições, os macros poderiam ter se formado a partir de partículas chamadas quarks, as partículas mais básicas que compõem prótons e nêutrons. Existem seis tipos de quarks - alto, baixo, superior, inferior, atrativo e desconhecido. Segundo o Live Science, os pesquisadores disseram que os quarks comuns, bem como quarks desconhecidos, poderiam se combinar para formar os macros de matéria escura.

De acordo com os cientistas, os quarks desconhecidos (ou estranhos) geralmente têm vidas extremamente curtas e os pesquisadores até agora só os observaram dentro de aceleradores de partículas. No entanto, os nêutrons são também altamente instáveis, mas são estáveis quando eles interagem com prótons nos átomos.

Por essa razão, os cientistas acreditam que é possível que os quarks desconhecidos criados logo após o nascimento do universo tornaram-se ligados a outras partículas para produzir matéria desconhecida estável, o que veio a constituir a matéria escura.

O consenso entre os cientistas agora é que as partículas de matéria escura interagem muito fracamente, em sua totalidade, com as forças conhecidas no universo. Como tal, a matéria escura é teorizada para ser invisível e quase completamente intangível, em sua maioria apenas detectável através da força gravitacional que exerce.

......................

Autor Michael Nascimento

Graduado em Física pela UEPB. Mestrando em Cosmologia, gravitação e física das partículas pela UFCG. Possui experiência na área de divulgação científica com ênfase em astronomia, astrofísica, astrobiologia, cosmologia, biologia evolutiva e história da ciência. Possui experiência na área de docência informática, física, química e matemática, com ênfase em desenvolvimento de websites e design gráfico e experiência na área de artes, com ênfase em pinturas e desenhos realistas. Fundador do Projeto Mistérios do Universo, colaborador, editor, tradutor e colaborador da Sociedade Científica e do Universo Racionalista. Membro da Associação Paraibana de Astronomia. Pai, nerd, geek, colecionador, aficionado pela arte, pela astronomia e pelo Universo. Curriculum Lattes: http://lattes.cnpq.br/8938378819014229
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga
Comentários
0 Comentários

Newsletter