Select Menu
» » » Você sabe por que a Via Láctea tem esse nome?
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Se algum dia você já se perguntou por que a Via Láctea teria recebido esse nome, você está prestes a conseguir a resposta. Emily Upton, uma das colunistas do site Today I Found It, publicou uma análise interessante sobre a origem do nome da nossa galáxia e uma série de curiosidades a respeito dos diversos nomes que a Via Láctea teria recebido em outros países.

Traduzindo literalmente, Via Láctea nada mais é do que uma espécie de “estrada do leite”. Estranho, não é mesmo? Para esclarecer, a colunista explica que os romanos emprestaram esse nome dos gregos, que chamavam o nosso sistema estelar de “galaxias kyklos”, que seria algo como “ciclo do leite”. Curiosamente, esse mesmo nome criado pelos gregos também teria dado origem à palavra “galáxia”.


Um pouco de mitologia























Não é possível saber ao certo quem teria inventado o nome, mas basta olhar para o céu para entender o que teria inspirado os gregos a batizar a galáxia dessa maneira. Se observado da Terra em uma cidade afastada e com poucas luzes, o céu exibe uma vista incrível de um rastro esbranquiçado e iluminado pelas estrelas, o que pode ser comparado a um caminho de leite.

Para reforçar a ideia, a mitologia grega conta que Zeus teria trazido Herácles para se alimentar no seio de Hera enquanto ela dormia. Confusa com a situação, afinal Herácles não era seu filho, Hera teria acordado enquanto Héracles era amamentado e o teria empurrado, fazendo com que algumas gotas de leite caíssem. Essas gotas de leite seriam a origem da galáxia de acordo com a visão de mundo dos gregos.


A Via Láctea em outras línguas

Em várias línguas, o nome Via Láctea foi mantido: “Milky Way”, em inglês, “Milchstrasse”, em alemão e “Melkeveien” em norueguês seriam alguns exemplos. Mas outros povos criaram suas próprias histórias para o surgimento da galáxia e, por isso, escolheram nomes diferentes. Confira:

Linnunrata – Finlândia

“Linnunrata” significa “caminho de pássaros” em finlandês. Esse nome surgiu de uma história da mitologia finlandesa que conta que o mundo foi formado a partir da eclosão de um ovo. Dessa maneira, o céu seria a casca do ovo e a Terra teria uma forma achatada. Os limites da Terra eram chamados de “Lintukoto” e serviam como moradia para os pássaros. Para os finlandeses, o caminho de luz que os gregos acreditavam ser formado de leite era, na verdade, o caminho que as aves faziam até Lintukoto, por isso a Via Láctea foi batizada de Linnunrata.

Rio Prateado – China























Em boa parte da Ásia, a Via Láctea é conhecida como o “Rio Prateado”. A lenda chinesa conta que existia uma bela jovem conhecida como a Deusa Bordadeira, que era filha da Rainha-Mãe Celestial. Um dia, um jovem fazendeiro estava cuidando de seus animais quando resolveu espiar a Deusa Bordadeira que tomava banho em um lago próximo. Naquele momento, os dois se apaixonaram e, em pouco tempo, se casaram e tiveram dois filhos.

Porém, a Rainha-Mãe Celestial ficou com inveja do amor dos jovens e sequestrou a Deusa Bordadeira. Quando o fazendeiro tentou persegui-las para resgatar seu amor, a Rainha criou um rio prateado entre eles para que os amantes permanecessem separados para sempre. Esse rio prateado é o que conhecemos como Via Láctea.

Curiosamente, no Japão e na Coreia, o termo que equivale a “rio prateado” também é usado para galáxias em geral, e não apenas para a Via Láctea.

Via Invernal – Islândia, Suécia e Noruega

Alguns países localizados mais ao norte batizaram a Via Láctea de Via do Inverno ou Via Invernal. Esse é o significa de “Vetrabrautin” na Islândia, “Vintergatan” na Suécia e “Vinterbrauta”, o nome alternativo da galáxia na Noruega. Acredita-se que esses povos assim chamaram o sistema estelar porque a Via Láctea fica mais visível durante o inverno no Hemisfério Norte.

Hard Goghi Chanaparh – Armênia

“Hard Goghi Chanaparh” significa “o caminho do ladrão de palha” em armênio. A história conta que o deus Vahagn teria roubado uma enorme quantidade de palha de Barsham, o rei da Assíria. Seu objetivo era levar toda a palha para a Armênia durante um inverno bastante frio. Para isso, ele teria atravessado o céu e derrubado um pouco de palha em seu caminho, formando a Via Láctea.

Algumas evidências apontam que a história armênia teria se espalhado para diversos países e inspirado outros povos a usar a mesma referência para nomear a nossa galáxia. Na Chechênia, a Via Láctea se chama “Ça Taxina Taça” ou “a rota da palha espalhada”; na Turquia, “Samanyolu” é a “estrada de palha” e na Croácia, “Kumova Slama” significa “a palha de Deus”, embora os croatas também utilizem o termo Via Láctea.

Caminho de Compostela - Espanha



















Os nomes da Via Láctea na Espanha são bastante variados. Além de utilizarem o mesmo nome que nós, os espanhóis também batizaram o sistema estelar de “Caminho de Santiago”. A explicação para esse nome está na história dos peregrinos que utilizavam a Via Láctea para se localizar e chegar à terra santa de Santiago de Compostela.

Além disso, “Compostela” é a terceira nomenclatura que a galáxia recebeu e sua tradução está diretamente ligada ao sistema, já que a palavra significa “o campo de estrelas”.


......................

Autor Michael Nascimento

Graduado em Física pela UEPB. Mestrando em Cosmologia, gravitação e física das partículas pela UFCG. Possui experiência na área de divulgação científica com ênfase em astronomia, astrofísica, astrobiologia, cosmologia, biologia evolutiva e história da ciência. Possui experiência na área de docência informática, física, química e matemática, com ênfase em desenvolvimento de websites e design gráfico e experiência na área de artes, com ênfase em pinturas e desenhos realistas. Fundador do Projeto Mistérios do Universo, colaborador, editor, tradutor e colaborador da Sociedade Científica e do Universo Racionalista. Membro da Associação Paraibana de Astronomia. Pai, nerd, geek, colecionador, aficionado pela arte, pela astronomia e pelo Universo. Curriculum Lattes: http://lattes.cnpq.br/8938378819014229
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga
Comentários
0 Comentários

Newsletter