Select Menu
» » » As 10 pessoas mais inteligentes da história
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Físico alemão, Albert Einstein
Físico alemão, Albert Einstein(Hulton Archive/Getty Images)
O engenheiro eletroquímico americano Libb Thims, que estuda a genialidade humana, listou as 40 pessoas mais inteligentes da história. O escritor alemão Johann Goethe lidera o ranking. Nas 20 primeiras posições aparecem nomes como Leonardo da Vinci, Nicolau Copérnico, Isaac Newton, Galileo Galilei, Nikola Tesla, William Shakespeare, Voltaire e Marie Curie.

Para criar o ranking, Thims não usou somente o QI (quociente de inteligência) das personalidades - embora os testes de QI sejam uma medida altamente imprecisa e controversa, o método ainda é tido como uma das principais formas de avaliar as capacidades intelectuais. Ele optou por considerar também a capacidade de realização de cada personalidade, antes de lhe conferir o título de gênio.

Para não excluir personalidades que nasceram antes da invenção dos testes de QI, Thims usou como referência a metodologia Cox, que estima o QI dos trezentos maiores gênios que viveram entre 1450 e 1850. A metodologia foi historicamente determinada através de 1.500 biografias, realizações de vida de cada indivíduo e habilidades reconhecidas na infância. Além disso, o material foi revisado de acordo com a Escala Stanford-Binet, primeiro indicador para medir a inteligência humana.

Os primeiros colocados na lista elaborada por Thims têm QI estimado em torno de 200. A título de comparação, cerca de 50% da população mundial possui QI de 90 a 105, que é considerada inteligência média. Estima-se que apenas 2% da população mundial possua QI acima de 150.

Johann Goethe

A medida de QI estimada do escritor alemão varia de 210 a 225. Seu romance "Fausto", publicado em 1808, ainda hoje é considerado uma das maiores obras-primas da literatura alemã.
Johann Goethe
Foto: Hulton Archive/Getty Images

Albert Einstein

O autor da teoria da relatividade revolucionou a física e sua foto simboliza a genialidade. A medida de QI estimada do alemão vai de 205 a 225.

Leonardo da Vinci

Pintor, arquiteto, músico, matemático, botânico, geólogo, engenheiro e inventor. A medida de QI estimada do gênio italiano varia de 180 a 220.
Leonardo da Vinci
(Foto: Hulton Archive/Getty Images)

Isaac Newton

O físico e matemático inglês, que formulou a lei da gravitação universal, teve papel fundamental na revolução científica do século 17. Seu QI estimado varia de 190 a 200.
Isaac Newton
(Foto: VEJA.com/Getty Images)

James Maxwell

O físico e matemático escocês que viveu no século 19 formulou a teoria eletromagnética e é considerado um dos cientistas que mais influenciaram a física. Seu QI estimado varia de 190 a 205.
James Maxwell
(Foto: Hulton Archive/Getty Images)

Rudolf Clausius

O físico e matemático alemão, autor da segunda lei da termodinâmica, foi um dos primeiros cientistas a sugerir que as moléculas são feitas de átomos. Seu QI estimado varia de 190 a 205.
Rudolf Clausius
(Foto: Kean Collection/Getty Images)

Nicolau Copérnico

O QI estimado do matemático e astrônomo polonês varia de 160 a 200. Copérnico foi responsável pela descoberta do modelo heliocêntrico do universo, que colocou o sol, e não a Terra, como o centro do Sistema Solar.
Nicolau Copérnico
(Foto: iStockphoto/Getty Images)

Gottfried Leibniz

O matemático e filósofo alemão que viveu no século 17 aprofundou seus estudos em cálculo diferencial e integral e no sistema binário. Seu QI estimado varia de 182 a 205.
Gottfried Leibniz
(Foto: Hulton Archive/Getty Images)
William Sidis
William Sidis foi uma criança prodígio americana. Aos 2 anos de idade, Sidis já lia o New York Times e escrevia (em inglês e francês) na máquina de escrever. Aos 9 anos, foi aceito na Universidade de Harvard — mas, sem capacidade emocional para frequentar as aulas, só pode ingressar aos 11 anos. Sidis faleceu com 46 anos em 1944 devido a uma hemorragia cerebral. A estimativa de seu QI varia de 200 de 300.
William Sidis
(Foto: Archive Photos/Getty Images)

Thomas Young

O médico e físico inglês trouxe descobertas importantes na óptica e anatomia humana, como a causa do astigmatismo. A estimativa é que seu QI varia de 185 a 200.
Thomas Young
Foto: Oxford Science Archive/Print Collector/Getty Images


......................

Autor Felipe Sérvulo

Graduado em Física pela UEPB. Mestrando em Cosmologia, gravitação e física das partículas pela UFCG. Possui experiência na área de divulgação científica com ênfase em astronomia, astrofísica, astrobiologia, cosmologia, biologia evolutiva e história da ciência. Possui experiência na área de docência informática, física, química e matemática, com ênfase em desenvolvimento de websites e design gráfico e experiência na área de artes, com ênfase em pinturas e desenhos realistas. Fundador do Projeto Mistérios do Universo, colaborador, editor, tradutor e colaborador da Sociedade Científica e do Universo Racionalista. Membro da Associação Paraibana de Astronomia. Pai, nerd, geek, colecionador, aficionado pela arte, pela astronomia e pelo Universo. Curriculum Lattes: http://lattes.cnpq.br/8938378819014229
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga
Comentários
0 Comentários

Newsletter