Select Menu
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Entrelaçamento ou Emaranhamento Quântico. Um nome bonito de um belo porém muito mal interpretado princípio da mecânica quântica. Em suma, o entrelaçamento quântico significa que múltiplas partículas estão ligadas entre si de uma forma tal que a medição do estado quântico de uma partícula determina os possíveis estados quânticos das outras partículas.

O entrelaçamento, em síntese, é uma propriedade onde um elétron

Exemplo clássico de entrelaçamento Quântico

O exemplo clássico de entrelaçamento quântico é chamado o paradoxo EPR ou (Einstein, Podolsky e Rosen)​​. Em uma versão simplificada deste caso, considere uma partícula quântica com rotação 0 que se decompõe em duas novas partículas, partículas A e B. Cada partícula, A e B, encabeçam em direções opostas. No entanto, a partícula original tinha um spin quântico 0. Cada uma das novas partículas tem um spin quântico 1/2, mas, como elas têm que se somar e resultar a 0, uma deve ser +1/2 e outra, -1/2.

Esta relação significa que as duas partículas estão emaranhadas. Quando você mede o spin das Partículas A, a medida tem um impacto sobre os possíveis resultados que você poderia ter quando medisse o spin da partícula B. E isso não é apenas uma previsão teórica interessante, mas foi verificada experimentalmente através de testes de Teorema de Bell.

Uma coisa importante a lembrar é que, na física quântica, a incerteza inicial sobre o estado quântico da partícula não é apenas uma falta de conhecimento. A propriedade fundamental da teoria quântica é que, antes do ato de medir, a partícula realmente não tem um estado definitivo, mas é em uma superposição de todos os estados possíveis. Este é o melhor modelado pelo experimento mental quântico clássico da física, o gato de Schrödinger, onde a abordagem da mecânica quântica resulta em um gato não observado que está vivo e morto ao mesmo tempo. Einstein chamou isso de Efeito Fantasmagórico à Distância.

A função de onda do Universo

Uma forma de interpretar as coisas é a de considerar todo o universo como uma única função de onda. Nesta representação, esta "função de onda do universo" conteria um termo que define o estado quântico de cada partícula. É esta abordagem que deixa aberta a porta para as alegações de que "tudo está conectado", que muitas vezes deixa margem (intencionalmente ou por confusão) para com coisas como os erros de física no livro The Secret (O segredo).

Embora essa interpretação não signifique que o estado quântico de cada partícula do universo afete a função de onda de todas as outras partículas. É apenas matemática. Não há realmente nenhum tipo de experiência física que poderia - mesmo em princípio - descobrir o efeito de atirar um elétron aqui na Terra e outro elétron em Marte sentir este efeito, pelo menos por enquanto.

......................

Autor Felipe Sérvulo

Graduado em Física pela UEPB. Mestrando em Cosmologia, gravitação e física das partículas pela UFCG. Possui experiência na área de divulgação científica com ênfase em astronomia, astrofísica, astrobiologia, cosmologia, biologia evolutiva e história da ciência. Possui experiência na área de docência informática, física, química e matemática, com ênfase em desenvolvimento de websites e design gráfico e experiência na área de artes, com ênfase em pinturas e desenhos realistas. Fundador do Projeto Mistérios do Universo, colaborador, editor, tradutor e colaborador da Sociedade Científica e do Universo Racionalista. Membro da Associação Paraibana de Astronomia. Pai, nerd, geek, colecionador, aficionado pela arte, pela astronomia e pelo Universo. Curriculum Lattes: http://lattes.cnpq.br/8938378819014229
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga
Comentários
0 Comentários

Newsletter