Select Menu
» » » » » Veja os 6 lugares da Terra que parecem ser de outro planeta
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Antes de viajarmos milhões de quilômetros no vazio do espaço, é preciso conhecer esses locais tão peculiares do nosso mundo, quem sabe para entender melhor o espaço. As agências espaciais testam os seus veículos em terrenos estranhos antes de enviá-los a outros planetas, por isso determinadas locações da Terra são utilizadas para essas experiências – lugares relativamente parecidos com as paisagens da Lua ou Marte.

No último mês, a Agência Espacial Europeia lançou um guia desses lugares, incluindo regiões com grandes crateras, áreas desérticas, cenários vulcânicos, vegetações de tundra e muitos outros. Veja abaixo algumas das locações da Terra que se assemelham de algum modo a terrenos que podemos encontrar fora do nosso planeta azul:


1. Cataratas de Sangue na Antártida



Localizado em frente do Glaciar Taylor, podemos ver essas cataratas congeladas e de coloração vermelha – o que dá o nome de Blood Falls à localidade, como um rio rubro que sai de dentro do glaciar. Cientistas não conseguiram chegar a um consenso sobre os motivos desse fenômeno peculiar, porém micro-organismos vivos foram encontrados na região (e a coloração provavelmente se deve à atividade deles).

As Cataratas de Sangue estão em um dos desertos mais áridos do mundo e, apesar de todo o gelo que há no lugar, jamais neva nessa região da Antártida. De acordo com o livro lançado pela Agência Espacial Europeia esse é o sítio mais parecido com Marte que podemos encontrar na Terra.


2. Deserto do Atacama




O Deserto do Atacama no norte do Chile e no sul do Peru possui um dos ambientes mais inóspitos da Terra (quase desprovido de vida em determinadas regiões), bastante parecido com o que os cientistas acreditam ser o terreno de Marte.

Devido ao ambiente arenoso, somente alguns tipos de bactérias conseguem sobreviver às condições extremas do deserto, muito quente de dia (mais de 40°C em alguns meses) e bastante frio de noite (com temperaturas que vão de 0°C para baixo).

3. Cratera vulcânica de Askja (Islândia)



O Askja é a maior cratera vulcânica da Islândia e possui um visual deslumbrante e ao tempo um tanto alienígena com as suas águas de um azul etéreo e solo avermelhado. As erupções do vulcão pararam há mais de 100 anos, o que confere um status mais seguro à região. A Islândia em geral é um país bastante interessante para estudos científicos sobre viagens espaciais, já que a ilha possui áreas repletas de glaciares, vulcões e terrenos áridos. Por exemplo, o Askja foi utilizado para o treino das missões Apollo.

4. Vulcão Etna (Itália)



Ao contrário do Askja (que não entra em erupção há décadas), o Etna está bem ativo na Itália. O terreno arenoso, aliado às condições extremas proporcionadas pelas erupções, cria um ambiente verdadeiramente interessante para estudos científicos e testes robóticos para missões à Lua ou à Marte. Apesar de as missões à Vênus estarem muito distantes de se tornarem realidade, pesquisadores utilizam o Etna como analogia à atividade vulcânica do planeta. 

5. Deserto da Namíbia (África)




Esse deserto africano é caracterizado pelas altíssimas dunas que podem ultrapassar os 300 metros de altura e por se estender pela costa da Namíbia e Angola. Dunas desses tamanhos (e muito mais altas) são encontradas em Marte, um aspecto em comum entre essas duas regiões tão distintas – e esse é o único deserto da Terra que pode ser comparado às dunas de Marte.

6. Lago Pavilion (Canadá)




O Lago Pavilion pode parecer normal se você o ver assim pela superfície, sem grandes diferenças em relação aos outros lagos que encontramos na Terra. Contudo, é debaixo das águas do Pavilion que reside algo que os especialistas em geologia extraterrestre se interessam. No solo do lago existem raras formações de estromatólitos, que são tipos de rochas e fósseis formados por micro-organismos em ambientes aquáticos. Por possuir esses estromatólitos, o local atrai dezenas de cientistas.

Fonte(s) Atlas Obscura

......................

Autor Michael Nascimento

Graduado em Física pela UEPB. Mestrando em Cosmologia, gravitação e física das partículas pela UFCG. Possui experiência na área de divulgação científica com ênfase em astronomia, astrofísica, astrobiologia, cosmologia, biologia evolutiva e história da ciência. Possui experiência na área de docência informática, física, química e matemática, com ênfase em desenvolvimento de websites e design gráfico e experiência na área de artes, com ênfase em pinturas e desenhos realistas. Fundador do Projeto Mistérios do Universo, colaborador, editor, tradutor e colaborador da Sociedade Científica e do Universo Racionalista. Membro da Associação Paraibana de Astronomia. Pai, nerd, geek, colecionador, aficionado pela arte, pela astronomia e pelo Universo. Curriculum Lattes: http://lattes.cnpq.br/8938378819014229
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga
Comentários
0 Comentários

Newsletter