Select Menu
» » » » » » » NASA faz sua primeira imagem colorida de Plutão e Caronte
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

A Missão New Horizons da NASA voltou com sua primeira imagem colorida do planeta anão Plutão e sua maior lua, Caronte.
Nave espacial New Horizons da NASA retorna com suas primeiras fotos coloridas de Plutão (centro) e sua maior lua, Caronte (inferior esquerdo). Crédito: NASA/Johns Hopkins University Applied Physics Laboratory/Southwest Research Institute.


A nova foto, tirada no dia 9 de abril de uma distância de cerca de 71 milhões milhas (115 milhões de quilômetros), já está revelando pistas de Plutão e Caronte, bem como sugestões científicas quando a New Horizons voar pelo sistema Plutão em 14 de julho, disseram que os oficiais da NASA.

Jim Green, diretor da divisão de Ciências planetárias da NASA, disse que a imagem revela "tentadores vislumbres desse sistema", durante uma conferência de imprensa nessa terça-feira (14 de abril), o dia que a foto foi lançada.

"Você pode ver imediatamente numerosas diferenças entre Plutão e Caronte", acrescentou Green.

Por exemplo, Charon ou Caronte é mais fraca do que Plutão. O contraste pode ser devido a uma diferença na composição dos corpos, ou que pode mesmo ser causado por uma atmosfera inédita em Caronte, disse Green. A incerteza deve esclarecer isto, quando a New Horizons obter o primeiro bom olhar da história para os dois frígidos e distantes objetos.

Plutão está tendo suas primeiras décadas de close-up depois de planetas, como Vênus, Marte e Netuno receberam eles. O atraso significa que a New Horizons é capaz de trazer alguns bastante avançados equipamentos científicos de volta ao trabalho.

"É uma verdadeira espaçonave de exploração do século XXI, com uma tremenda capacidade," disse o principal investigador da missão New Horizons, Alan Stern, do Instituto de pesquisa de Southwest, no Colorado, durante uma conferência de imprensa nesta terça-feira. "Está em perfeita saúde, cheia de combustível e carregando um arsenal científico — o mais poderoso conjunto de instrumentos de ciência já feito para sustentar o reconhecimento de um planeta."


Um desses é a câmera de cor de Ralph, que capturou a nova imagem colorida de Plutão e Caronte.

Uma nova classe de planetas

Nos primórdios da exploração planetária, havia duas categorias amplas de planetas — os rochosos terrestres como mercúrio a Marte e os gigantes de gás enorme como Júpiter e além. Plutão foi classificado como um planeta, mas havia algo de estranho nas bordas exteriores do sistema solar.

Ao longo das últimas décadas, tornou-se cada vez mais claro que Plutão não é tão estranho, afinal de contas. Na verdade, é apenas um dos muitos objetos similares no cinturão de Kuiper, o anel de corpos gelados além da órbita de Netuno.

"Fundamentalmente, nós vamos a Plutão porque é primeira oportunidade a raça humana para estudar uma classe inteiramente nova de mundos," disse o co-investigador da New Horizons, William McKinnon, da Universidade de Washington em St Louis, durante a entrevista coletiva. 
Assim como Caronte, as outras 4 Luas descobertas recentemente foram batizadas com nomes mitológicos: Nix, a deusa da Noite; Styx ou Estige, o rio que passa pelo submundo de Hades (Plutão em romano), e os monstros mitológicos, Hydra e Cérbero, o cão que guarda as portas do submundo. Créditos: Felipe Sérvulo

Quando a missão New Horizons começou a tomar forma, os cientistas sabiam da existência de apenas  uma lua de Plutão - Caronte, que é quase 50 por cento tão larga quanto o planeta anão. Desde então, os astrônomos utilizaram o Telescópio espacial Hubble para descobrir quatro adicionais — e muito menores — luas em torno de Plutão.

Pode haver ainda mais luas à espera de serem descobertas, bem como campos de sistema ou anel de detritos ao redor de Plutão. Tais características poderiam apresentar um risco de colisão para a New Horizons, mas membros da equipe da missão não estão muito preocupados.

Isso não significa que a equipe está levando perigos potenciais levemente. Eles trabalharam por caminhos alternativos para a nave espacial se parece estar em perigo.

"Queremos ter a certeza que tomarmos todas as precauções para ter uma missão bem sucedida com a New Horizons", disse Stern.

 Voando para o desconhecido

A New Horizons, que foi lançada em janeiro de 2006, será uma das cinco naves espaciais a visitar as bordas exteriores do sistema solar, seguindo os passos das sondas da NASA, Pioneer 10 e 11 e Voyager 1 e 2.

A New Horizons será a única nave espacial a fazer uma abordagem perto de Plutão, viajando a 7.767 milhas (12.500 km) de sua superfície. O planeta anão leva 248 anos terrestres para fazer uma viagem ao redor do Sol. Isso significa que no ano passado de Plutão, Saturno era o planeta mais distante conhecido e Netuno e Urano não tinham sido descobertos ainda.

Imagens e informações enviadas da ave espacial levarão cerca de 4,5 horas para chegar à terra, apesar de viajarem na velocidade da luz. Isto significa que muitas das observações serão descritas antes que ela atinja Pluto. Além disso, a nave espacial deve escolher entre fazer novas observações ou enviar seus dados existentes para a terra; Ela não pode fazer os dois ao mesmo tempo.

"É uma da espaçonave planetária mais automatizada já lançado," disse Green.

A missão de U$ 700 milhões, oferece uma oportunidade para estudar Plutão e suas cinco luas detalhadamente, capturar dados sobre atmosfera, composição, interior e formação do planeta anão. A New Horizons irá fornecer o primeiro olhar detalhado para um corpo inexplorado no sistema solar.

"Estamos voando para o desconhecido", disse Green.

Traduzido de: Space

......................

Autor Felipe Sérvulo

Graduado em Física pela UEPB. Mestrando em Cosmologia, gravitação e física das partículas pela UFCG. Possui experiência na área de divulgação científica com ênfase em astronomia, astrofísica, astrobiologia, cosmologia, biologia evolutiva e história da ciência. Possui experiência na área de docência informática, física, química e matemática, com ênfase em desenvolvimento de websites e design gráfico e experiência na área de artes, com ênfase em pinturas e desenhos realistas. Fundador do Projeto Mistérios do Universo, colaborador, editor, tradutor e colaborador da Sociedade Científica e do Universo Racionalista. Membro da Associação Paraibana de Astronomia. Pai, nerd, geek, colecionador, aficionado pela arte, pela astronomia e pelo Universo. Curriculum Lattes: http://lattes.cnpq.br/8938378819014229
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga
Comentários
0 Comentários

Newsletter