Select Menu
» » » » » Alienígenas podem ter o tamanho de ursos, segundo a Matemática
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga



Dentre os milhares de planetas fora do nosso Sistema Solar, há uma boa chance de que alguns deles tenha condições necessárias para a vida. Os cientistas não tem certeza se existe vida alienígena, porém eles são capazes de dizer o quanto esses seres alienígenas pesam. Provavelmente, essas criaturas seriam grandes — quase 314 Kg, segundo um cosmólogo.

Fergus Simpson, da Universidade de Barcelona, descreve seu argumento estatístico em um site. A constatação é baseada em um modelo chamado de teorema de Bayes e um ramo da matemática conhecido como Estatística Bayesiana. O objetivo dessas técnicas é estimar as probabilidades de mudança dependendo das informações disponíveis.

Mas, embora a experiência matemática de Simpson possa dar possibilidades para vida alienígena, alguns pesquisadores dizem que alguns de seus pressupostos estatísticos podem não ser verdadeiros.

• Estimando o tamanho de um Alienígena

Simpson começou seu cálculo com o número de indivíduos que provavelmente viveria em uma determinada civilização alienígena e chegou a cerca de mais ou menos 50 milhões de indivíduos.

Como analogia, considere as populações da terra. Se você tivesse que escolher uma única pessoa da terra, um indivíduo mais provável seria um indivíduo da China (chance de 1 em cada 5) do que da Nova Zelândia (chance de 1 em 1.600). No entanto, há muito mais países do tamanho da Nova Zelândia do que da China, então se você fosse escolher o país, você seria muito mais propenso a escolher um país do tamanho de Moçambique ou da Espanha do que a Rússia, China ou Estados Unidos.

A mesma ideia aplica-se aos alienígenas. Supondo que a Terra esteja com uma quantidade extrema em número de moradores, um planeta habitável teria aproximadamente 50 milhões de alienígenas.

Usando um argumento, Simpson escreveu que o tamanho do planeta que suporta a vida extraterrestre tenha provavelmente um tamanho menor do que a Terra. Em seu modelo, ele assumiu que cerca de 50% do diâmetro da terra é o limite, pois se fosse menor, seria difícil para o planeta reter uma atmosfera ou água.

Mais uma vez, seria mais provável cada indivíduo alienígena viver em um planeta grande, pois esses planetas são propensos suportar "pessoas". Mas uma espécie inteira tem maiores chances de ter vinda de um planeta pequeno, pois existem mais planetas pequenos do que grandes. Simpson escreveu que, 95% dos planetas têm um raio de 1,4 vezes o da Terra ou menor.

A última parte da análise de Simpson focada no tamanho de outras formas de vida. Animais terrestres têm uma relação amplamente conhecida entre o tamanho e o número de indivíduos — quanto menor é a espécie, mais indivíduos dessa espécie tendem a existir. Por exemplo, um alienígena que procura vida na Terra, seria muito mais provável encontrar um mosquito do que uma baleia azul.

No entanto, a relação entre o tamanho da população também pode ser representada graficamente em uma curva de probabilidades, que prevê que o peso médio de um alienígena seria perto de  692 lbs (314 kg) — o tamanho de um urso ou um alce. Então, baseado nos resultados deste modelo, cerca de metade das criaturas extraterrestres pesaria mais do que isso.

Pode parecer contraditório para criaturas grandes serem de planetas menores, mas não é: Lembre-se que as populações de pequenos planetas, em média, seriam pequenas em comparação com os 7 bilhões de humanos que vivem na terra.

• Advertências de estatísticas

Alguns cientistas dizem que esta previsão matemática tem algumas sérias advertências. Michael Kopp, um professor de biologia e teoria da evolução da Universidade de Aix-Marseille, na França, disse que ele não tem certeza sobre o argumento estatístico, porque não está claro se os seres humanos são mesmo uma amostra aleatória de seres inteligentes. Também é bem possível que os seres humanos na Terra serem  a mediana de todas as civilizações — em outras palavras, no grande esquema do universo, a Terra é mais comparável a um país como o Canadá, em termos de população do que a Índia ou China.

"A previsão de que a maioria das civilizações contêm menos de 50 milhões de indivíduos baseia-se no pressuposto de que a distribuição de tamanhos de civilização corresponde à distribuição dos tamanhos da espécie... mas não existem particulares motivos para acreditar que isto é assim", disse Kopp.

O argumento de que a vida extraterrestre inteligente tenderia a ser maior seria menos problemático, pois a distribuição do tamanho das espécies terrestres é semelhante e a relação entre tamanho e população parece ser bastante consistente. No entanto, acrescentou, não é necessariamente verdade que a distribuição de tamanhos entre espécies inteligentes siga o tipo de curva que Simpson têm modelado.

Seth Shostak, um pesquisador do Instituto SETI, disse que é improvável que Simpson esteja exatamente certo, especialmente a respeito do tamanho dos corpos dos alienígenas. As baleias são provavelmente bastante inteligentes e, para os fins da pesquisa de inteligência extraterrestre, você precisa de telescópios de rádio ou laser, pois essa é a maneira mais simples de se detectar vida através de distâncias interestelares. "Você não pode fazer um telescópio de rádio subaquático," observou Shostak.

Há também a questão de como a vida inteligente iria se desenvolver. Uma razão para os seres humanos e outros animais serem mais inteligentes foi a procura por alimentos. "Um animal tão grande não vai ter muita dificuldade para conseguir o jantar" disse Shostak.


Chewbacca?











Chewbacca? 

......................

Autor Felipe Sérvulo

Graduado em Física pela UEPB. Mestrando em Cosmologia, gravitação e física das partículas pela UFCG. Possui experiência na área de divulgação científica com ênfase em astronomia, astrofísica, astrobiologia, cosmologia, biologia evolutiva e história da ciência. Possui experiência na área de docência informática, física, química e matemática, com ênfase em desenvolvimento de websites e design gráfico e experiência na área de artes, com ênfase em pinturas e desenhos realistas. Fundador do Projeto Mistérios do Universo, colaborador, editor, tradutor e colaborador da Sociedade Científica e do Universo Racionalista. Membro da Associação Paraibana de Astronomia. Pai, nerd, geek, colecionador, aficionado pela arte, pela astronomia e pelo Universo. Curriculum Lattes: http://lattes.cnpq.br/8938378819014229
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga
Comentários
0 Comentários

Newsletter