Select Menu
» » » » Astrônomos brasileiros descobrem planeta "gêmeo" de Júpiter
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Concepção artística de um gêmeo de Júpiter em torno da estrela HIP. Crédito:  M. Kornmesser / European Southern Observatory



Uma equipe liderada por astrônomos brasileiros identificou um planeta como Júpiter orbitando uma estrela do tipo do Sol à mesma distância que o maior planeta do Sistema Solar está do "astro-rei". A descoberta desse "gêmeo" de Júpiter — com a mesma massa e em órbita semelhante — pode indiciar a presença de um sistema planetário parecido com o nosso próprio Sistema Solar.

Batizado como HIP 11915b, o exoplaneta (nome dado aos planetas que orbitam uma estrela diferente do nosso Sol) fica quase exatamente na mesma posição que Júpiter ocupa no nosso Sistema Solar, conforme divulgou o Observatório Europeu Sul (ESO, na sigla em inglês).
"A procura de uma Terra 2.0 e de um Sistema Solar 2.0 completo, é um dos esforços mais excitantes da astronomia. Estamos muito entusiasmados por fazer parte desta investigação de vanguarda", explicou, em um comunicado, Jorge Melendez, da Universidade de São Paulo (USP), líder da equipe e co-autor do artigo científico que descreve os resultados. 
A participação brasileira na descoberta foi possível porque, desde a assinatura do acordo de adesão ao Observatório Europeu Sul, em dezembro de 2010, os astrônomos do país têm tido total acesso a todas as instalações de observação do ESO. A descoberta foi feita com o auxílio do HARPS, um dos instrumentos para detectar exoplanetas montado em um telescópio no Observatório de La Silla, no Chile

Papel importante na arquitetura de sistemas planetários

A estrela HIP 11915, que o planeta orbita, tem aproximadamente a mesma idade e composição semelhante à do Sol, o que sugere que possam existir também planetas rochosos em órbitas mais próximas da estrela. A formação de planetas com a massa de Júpiter desempenha um papel importante na arquitetura de sistemas planetários. Os cientistas apontam que a formação do Sistema Solar como o conhecemos foi possível graças à presença de Júpiter e da sua influência gravitacional. Por isso, acreditam que a descoberta de um planeta gêmeo de Júpiter é um marco importante na busca de um sistema planetário semelhante ao nosso.

......................

Autor Felipe Sérvulo

Graduado em Física pela UEPB. Mestrando em Cosmologia, gravitação e física das partículas pela UFCG. Possui experiência na área de divulgação científica com ênfase em astronomia, astrofísica, astrobiologia, cosmologia, biologia evolutiva e história da ciência. Possui experiência na área de docência informática, física, química e matemática, com ênfase em desenvolvimento de websites e design gráfico e experiência na área de artes, com ênfase em pinturas e desenhos realistas. Fundador do Projeto Mistérios do Universo, colaborador, editor, tradutor e colaborador da Sociedade Científica e do Universo Racionalista. Membro da Associação Paraibana de Astronomia. Pai, nerd, geek, colecionador, aficionado pela arte, pela astronomia e pelo Universo. Curriculum Lattes: http://lattes.cnpq.br/8938378819014229
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga
Comentários
0 Comentários

Newsletter