Select Menu
» » » » » Estamos sozinhos? - Chegou a hora de descobrir!
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Quem somos nós?

Uma civilização madura, assim como um indivíduo maduro, deve perguntar-se sobre essa questão. Estaria a humanidade definida pelas suas divisões, seus problemas, suas necessidades e tendências passageiras? Ou temos uma face compartilhada, voltada para o Universo?

Em 1990, a Voyager 1 girou sua câmera e capturou o "Pálido Ponto Azul" - uma imagem da Terra a seis bilhões de km de distância. Era um espelho voltado para o nosso planeta - um lar de água, vida, e mentes. Um lembrete que nós compartilhamos algo precioso e raro.
Mas quão raro isso é, exatamente? É o único a ter vida? São as únicas mentes pensantes do Universo?

No meio do último século, um pequenos grupos de cientistas têm escutado arduamente por sinais de vida no vasto silêncio do cosmos. Mas para o governo, academia e indústria, questões cósmicas são astronomicamente muito baixas na lista de prioridades. E isso aumenta as chances de encontrar respostas. É bastante difícil pentear do Universo a partir da borda da Via Láctea; ainda mais difícil a partir da borda da consciência pública.

No entanto, milhões são inspirados por essas idéias, sejam elas da ciência ou ficção científica, pois as maiores questões da nossa existência estão em jogo. Será que somos os únicos filhos do Universo - os nossos pensamentos são seus únicos pensamentos? Ou temos irmãos cósmicos - uma família interestelar provida de inteligência? Como Arthur C. Clarke disse: "Em qualquer caso, a ideia é bastante impressionante."

Isso significa que a busca por vida é o máximo esforço 'vantajoso para todos'. Tudo o que temos a fazer é participar.

Hoje temos ferramentas de pesquisa superando-nos de longe das gerações anteriores. Telescópios podem escolher planetas através de milhares de anos-luz. A magia da lei de Moore permite que nossos computadores analisem dados de magnitude mais rápido do que os mainframes mais velhos - e cada vez mais rápidos a cada ano.

Estas ferramentas estão agora colhendo uma safra de descobertas. Nos últimos anos, os astrônomos da Missão Kepler descobriram milhares de planetas além do nosso sistema solar. Parece agora que a maioria das estrelas hospedam um sistema planetário. Muitos deles têm um planeta semelhante em tamanho ao nosso, dispostos na "zona habitável", onde a temperatura permite água líquida em sua superfície. Há prováveis ​​bilhões de mundos tipo-Terra em somente em nossa galáxia. E com instrumentos agora ou em breve disponíveis, temos a chance de descobrir se algum desses planetas são verdadeiros "Pálidos Pontos Azuis" - lares com água, vida, e até mesmo mentes.

Nunca houve um melhor momento para um esforço internacional em grande escala para encontrar vida no Universo. Como civilização, nós devemos isso a nós mesmos dedicando tempo, recursos e paixão nessa missão.

Mas, assim como uma chamada à ação, esta é uma chamada para o pensamento. Quando encontrarmos a mais próxima exo-Terra, deveremos enviar uma sonda? Será que tentaremos fazer contato com civilizações avançadas? Quem tomará essas decisões? Indivíduos, instituições, empresas ou estados? Ou podemos nós, como espécie - como um planeta - pensarmos juntos?

Três anos atrás, a Voyager 1 quebrou o abraço do Sol e entrou no espaço interestelar. O século 20 será lembrado por viagens dentro do Sistema Solar. Com a cooperação e compromisso, o presente século será o momento em que nós finalmente, em escala galáctica, procuramos outras formas de vida, e assim conhecemos mais profundamente o que somos.

Tradução da carta aberta de Yuri Milner Fundador do Breakthrough Iniciatives, um esforço que procurará por vida extraterrestre na galáxia. 

......................

Autor Felipe Sérvulo

Graduado em Física pela UEPB. Mestrando em Cosmologia, gravitação e física das partículas pela UFCG. Possui experiência na área de divulgação científica com ênfase em astronomia, astrofísica, astrobiologia, cosmologia, biologia evolutiva e história da ciência. Possui experiência na área de docência informática, física, química e matemática, com ênfase em desenvolvimento de websites e design gráfico e experiência na área de artes, com ênfase em pinturas e desenhos realistas. Fundador do Projeto Mistérios do Universo, colaborador, editor, tradutor e colaborador da Sociedade Científica e do Universo Racionalista. Membro da Associação Paraibana de Astronomia. Pai, nerd, geek, colecionador, aficionado pela arte, pela astronomia e pelo Universo. Curriculum Lattes: http://lattes.cnpq.br/8938378819014229
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga
Comentários
0 Comentários

Newsletter