Select Menu
» » » » Ibn al-Haytham, o primeiro cientista
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga



O ano de 2015 marca o aniversário de 1000 anos desde o aparecimento do Tratado notável de sete volume da ótica de Kitab al-Manazir escrito pelo cientista árabe Ibn al-Haytham (965 - 1040). Nascido por volta de mil anos atrás, no atual Iraque, Al-Hasan Ibn al-Haytham (conhecido no Ocidente pela forma latinizada de seu nome, inicialmente "Al Hacen" e depois "Al Hazen") foi um pensador científico pioneiro, que fez importantes contribuições para o entendimento da visão, ótica e luz.

Sua metodologia de investigação, em particular, que usou o experimento para verificar a teoria, mostra certas semelhanças com o que mais tarde ficou conhecido como o método científico moderno. Através de seu livro de ótica ( Kitab al-Manazir) e sua tradução para o latim (De Aspectibus), suas idéias influenciaram estudiosos europeus, incluindo os do Renascimento Europeu. Hoje, muitos consideram-em uma figura central na história da óptica e o "pai da óptica moderna".

Ibn al-Haytham nasceu durante um período conhecido como a era dourada da civilização muçulmana onde viu-se muitos fascinantes avanços da ciência, tecnologia e medicina de criativo. Em uma área que se espalhou da Espanha para China, inspirando homens e mulheres, de diferentes crenças e culturas, construídas sobre o conhecimento de antigas civilizações, a fazerem descobertas que tiveram um impacto enorme e muitas vezes subvalorizado no nosso mundo.

A UNESCO e o ano da luz de 2015 internacional baseada em uma parceria com a organização 1001 invenções , no Reino Unido para lançar uma campanha educacional Internacional de alto perfil celebrando Ibn al-Haytham chamada '1001 invenções e o mundo de Ibn al-Haytham'.
1001 invenções e o Centro de Cultura Mundial King Abdulaziz  em parceria com a UNESCO e o Ano Internacional da Luz 2015 produzirá um curta-metragem sobre o trabalho do cientista do século XI Ibn Al-Haytham: "1001 invenções e o mundo de Ibn Al Haytham".

Ibn al-Haytham, o primeiro cientista

O trabalho de Ibn al-Haytham foi notável por sua ênfase em provas e evidências. Ele é conhecido por ter dito: "Se aprender a verdade é objetivo do cientista... então ele deve tornar-se o inimigo de tudo o que ele lê." Com isso, ele queria dizer que era essencial  realizar experimentos para testar o que está escrito ao invés de aceitá-lo cegamente como verdade.

Ibn al-Haytham nasceu no ano 965 em Basra e morreu em 1040 no Cairo. Ele foi um dos primeiros cientistas a estudar as características da luz e processo/mecanismo de visão. Ele buscou a prova experimental de suas teorias e idéias. Durante muitos anos vivendo no Egito, dez dos quais foram gastos no que hoje chamamos de custódia (prisão domiciliar). Nesse período, Alhazen compôs uma de suas obras mais célebres, o Kitab al-Manazir, cujo título é comumente traduzido como Livro de Ótica, contudo, mais propriamente, tem o significado mais amplo, significando Livro da Visão.

Ibn al-Haytham desenvolveu significativos avanços na óptica, matemática e astronomia. Seu trabalho sobre óptica caracterizou-se por uma forte ênfase em experimentos designados cuidadosamente para testar teorias e hipóteses. A esse respeito, ele estava seguindo um procedimento um pouco semelhante ao que os cientistas modernos aderem em sua pesquisa investigativa.

Diferentes pontos de vista sobre a forma como o processo de visão poderia ser explicado já estavam em circulação há séculos, principalmente entre os pensadores gregos clássicos. Alguns diziam que raios saiam dos olhos, outros acharam que algo entrava nos olhos para representar um objeto. Mas foi o cientista do século XI Ibn al-Haytham, que empreendeu uma crítica sistemática destas ideias sobre a visão, a fim de demonstrar por ambos razão e experiência que a luz era uma parte crucial e independente, o processo visual. Assim, concluiu que visão somente terá lugar quando um raio luminoso emitido a partir de uma fonte luminosa ou era refletido de tal uma fonte antes de entrar no olho.

Ibn al-Haytham é creditado com a explicação da natureza da luz e visão, através da utilização de uma câmara escura que ele chamou de "Albeit Almuzlim", que tem a tradução para o latim como o "câmera obscura"; o dispositivo que constitui a base da fotografia.

Ibn al-Haitham foi o primeiro a perceber que os olhos absorviam a luz, em vez de imiti-la no processo da visão. Ele também inventou a primeira câmera escura.
Acredita-se que Alhazen escreveu 96 livros, 55 só são conhecidos por terem sobrevivido. Aqueles relacionados com o tema da luz incluíam: A luz da lua, a luz das estrelas, o Arco-Íris e o Halo, Espelhos Esféricos, Espelhos Parabólicos, A Esfera Ardente, A forma do Eclipse, A formação de Sombras, Discurso sobre a luz, bem como sua obra-prima, o Livro de Ótica. Traduções latinas de algumas de suas obras são conhecidas por terem influenciado importantes pensadores medievais do Renascimento Europeu, como Roger Bacon, René Descartes e Christian Huygens. A cratera Alhazen na lua foi nomeada em sua homenagem, assim como foi asteroide  59239Alhazen.

Ibn al-Haythan foi destaque no quinto episódio do Remake dea série de televisão Cosmos, com Neil deGrasse Tyson, no ano passado.

Pequena biografia: 
  • Nasceu em 965 em Basra, durante o apogeu intelectual da civilização muçulmana;
  • Convidado para o Egito para ajudar a construir uma barragem no Nilo. Depois de visitar um campo, ele se recusou a prosseguir com o projeto, causando-lhe o que hoje chamamos - custódia por 10 anos;
  • De suas observações de luz que entrava em uma tenta escura, ele fez grandes avanços na visão e no entendimento da Luz;
  • Suas descobertas levaram-o a fazer uma revisão significativa para antigos pontos de vista sobre como nossos olhos vêem;
  • Através de seus estudos de trabalhos anteriores, Galen e outros, deram os nomes de várias partes do olho, tais como a lente, retina e córnea;
  • Ele estabelece novos padrões na ciência experimental e completou o seu  grande livro de óptica por volta de 1027;
  • Morreu com a idade de 74 anos por volta do 1040;
  • Seu livro de ótica foi traduzida para latim e tiveram uma influência significativa sobre muitos cientistas da idade média, renascimento e Iluminismo. Por exemplo, o  livro Perspectiva de ótica, foi criado por volta de 1275 por Erazmus Witelo, que mais tarde foi chamado de "Macaco do Alhazen" quando as pessoas perceberam ele tinha copiado em grande parte livro de ótica do al-Haytham.
Traduzido e adaptado de Light2015.org

......................

Autor Felipe Sérvulo

Graduado em Física pela UEPB. Mestrando em Cosmologia, gravitação e física das partículas pela UFCG. Possui experiência na área de divulgação científica com ênfase em astronomia, astrofísica, astrobiologia, cosmologia, biologia evolutiva e história da ciência. Possui experiência na área de docência informática, física, química e matemática, com ênfase em desenvolvimento de websites e design gráfico e experiência na área de artes, com ênfase em pinturas e desenhos realistas. Fundador do Projeto Mistérios do Universo, colaborador, editor, tradutor e colaborador da Sociedade Científica e do Universo Racionalista. Membro da Associação Paraibana de Astronomia. Pai, nerd, geek, colecionador, aficionado pela arte, pela astronomia e pelo Universo. Curriculum Lattes: http://lattes.cnpq.br/8938378819014229
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga
Comentários
0 Comentários

Newsletter