Select Menu
» » » » » » » » » Seis fatos impressionantes que nós aprendemos sobre Plutão esta semana
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Após uma viagem de nove anos e 4,8 bilhões quilômetros, a New Horizons finalmente chegou a seu ápice nesta terça, dia 14. A nave não atingiu o planeta anão Plutão para seu tão aguardado sobrevoo.

Mas, alguns podem se perguntar, o que podemos ganhar com isso tudo?

Aqui estão seis fatos fascinantes que aprendemos sobre o planeta anão esta semana:

1. O coração de Plutão está pulsando



Altamente visível nas imagens mais recentes, a paisagem em forma de coração em Plutão - que provavelmente é causado pela geada - está em constante mutação. O cientista planetário da New Horizons, Bonnie Buratti, disse a revista Popular Science: "Temos acompanhado o que hoje conhecemos como o coração por 60 anos, e percebemos que ele tem se desgastado ao longo dos anos com o tempo."

2. Plutão pode ser pequeno - mas é maior do que pensávamos

New Horizons também está fazendo medições mais precisas para Plutão. A medição mais recente e mais precisa enviada para nós diz que Plutão tem um diâmetro de 2.370 quilômetros (cerca de 1.473 milhas), quase o comprimento de 56 maratonas.

Esta medição é cerca de 70 quilômetros (44 milhas) maior do que o que os cientistas anteriormente estimaram para Plutão. E isso significa que Plutão é o maior objeto do Sistema Solar além da órbita de Netuno.

3. Oh, meu Deus! Crateras de Plutão poderiam ser nomeadas com personagens de Star Trek

Crateras na superfície de Plutão são sinais prováveis ​​de profundo impacto de menores rochas espaciais em colisão com o planeta. Pesquisadores podem até mesmo nomear algumas dessas crateras de personagens de Star Trek.

Esta imagem de um Hangout do Google+ Hangout em 2013 ilustra como algumas características em Plutão poderão  ter nomes de Star Trek. Instituto SETI / Space.com


4. Há algo no ar

A New Horizons detectou  emissões de nitrogênio  em Plutão a cinco dias de sua maior aproximação, muito mais cedo do que os pesquisadores previram.

New Horizons captou essas emanações gasosas a partir de 6 milhões de quilômetros (3,7 milhão milhas) de distância, em vez dos previstos 2,5 milhão quilômetros (1,6 milhões de milhas), sugerindo que a origem dos gases poderia ser muito mais forte do que o estimado, a atmosfera de Plutão é muito mais fina do que se pensava, ou algo completamente diferente. Felizmente, a New Horizons deve ter recolhido dados suficientes durante seu sobrevoo para determinar o precisamente os dados atmosféricos.

5. O lado escuro de Plutão

Manchas escuras tem sido notadas na superfície de Plutão. O que é estranho sobre essas irregularidades é o seu tamanho  espaçamento similar. Infelizmente, elas giraram para fora da vista quando a New Horizons chegou, portanto, não vamos aprender muito mais sobre elas nesta missão.

A última exibição de manchas escuras de Plutão foram vistas pela New Horizons antes do voo rasante. NASA 

6. As calotas são, definitivamente, gelo

Havia teorias que Plutão tinha calotas de gelo, mas nada era certo - até agora. O gelo foi confirmado assim como o metano e azoto congelados.

Veja aqui os primeiros dados e imagens de Plutão e sua luas.

Traduzido e adaptado de: IFL Science

......................

Autor Felipe Sérvulo

Graduado em Física pela UEPB. Mestrando em Cosmologia, gravitação e física das partículas pela UFCG. Possui experiência na área de divulgação científica com ênfase em astronomia, astrofísica, astrobiologia, cosmologia, biologia evolutiva e história da ciência. Possui experiência na área de docência informática, física, química e matemática, com ênfase em desenvolvimento de websites e design gráfico e experiência na área de artes, com ênfase em pinturas e desenhos realistas. Fundador do Projeto Mistérios do Universo, colaborador, editor, tradutor e colaborador da Sociedade Científica e do Universo Racionalista. Membro da Associação Paraibana de Astronomia. Pai, nerd, geek, colecionador, aficionado pela arte, pela astronomia e pelo Universo. Curriculum Lattes: http://lattes.cnpq.br/8938378819014229
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga
Comentários
0 Comentários

Newsletter