Select Menu
» » » » » » » As contribuições cósmicas de Carl Sagan
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Já se passaram 19  anos desde a morte de Carl Sagan, em 20 de dezembro de 1996, aos 62 anos, mas a sua influência na investigação científica, na sua descoberta e compreensão é ainda forte hoje.

Sem dúvidas, o número de conquistas científicas de Sagan chegam em "bilhões e bilhões". Apresentamos 10 das contribuições mais importantes de Sagan para a ciência:

1. Ciência Popular.

O mais conhecido legado de Sagan é talvez seu trabalho para tornar a ciência acessível e popular às massas, melhor demonstrado no programa de televisão, Cosmos: Uma Viagem Pessoal. Originalmente transmitido em 1980, o show foi - e ainda é - amado por apresentar conceitos científicos complexos de uma forma que os tornava compreensível. A personalidade amigável e acessível de Sagan foi uma grande parte disso. Em vez de dar lições de teorias científicas aos espectadores, ele se sentou e conversou com eles sobre como a ciência é interessante. Seu senso de admiração sempre esteve presente no show, e foi contagiante.


2. Marte, o planeta empoeirado.

Sagan contribuiu significativamente para a nossa compreensão de Marte. Marte foi uma vez pensado para ser coberto de vegetação que mudava com as estações do ano – levando a seus diferentes padrões de claro e escuro, como pode ser visto através de telescópios. Sagan examinou dados novos e determinou que as mudanças dos padrões de cor foram causadas por poeira soprando no vento em altitudes diferentes. Isto foi confirmado pelas expedições posteriores ao planeta, onde  viu-se um lugar empoeirado e desprovido de vida.

3. Luas Habitáveis. 

Sagan foi um dos primeiros a hipotetizar que havia água em Titã, lua de Saturno e na lua de Júpiter, Europa. Estas duas luas são agora fonte de muita fascinação e especulação, com muitos contemplando a possibilidade de colonização humana, bem como a ideia excitante que as luas podem ser capazes de desenvolver a vida independente. Porém atualmente não seria um lugar muito confortável para viver – ambas têm climas  inimaginavelmente frios e Europa possui níveis potencialmente fatais de radiação.

4. Vênus e o efeito de estufa.

Vênus foi uma vez pensado para ter um clima como o da Terra, só um pouco mais apelativamente tropical. Agora sabemos que ele é o oposto – quente, seco e inabitável. Sagan foi o primeiro a sugerir que as nuvens de Vênus não podem ser uma indicação de um clima ameno; seu estudo das emissões de rádio de Vênus levou-o a hipótese de uma temperatura de superfície de 900° F. Ele mais tarde ajudou a projetar e gerenciar expedições da sonda Mariner da NASA para Vênus, que provou que o planeta é de fato inabitavelmente quente. Sagan determinou que, como Venus uma vez pode ter tido água, ela evaporou-se devido a um intenso efeito estufa – e ele alertou para o perigo de um caminho semelhante aqui na Terra, se o aquecimento global entrar em um processo fora de controle. 

5. SETI. 

Sagan foi uma cientista pioneiro do projeto SETI, uma série de projetos realizados na esperança de encontrar vida inteligente em outro lugar no universo. Membro do Conselho Curador do Instituto SETI, ele trabalhou para trazer a atenção e compreensão para a busca, com sua mistura característica de defesa racional e total deleite. Sagan poderia nos dizer o quão cientificamente e culturalmente importante era determinar se nós compartilhamos o universo com outros seres inteligentes... e ele conseguiu nos deixar vertiginosamente animados com a possibilidade. 

6. desmistificação de UFOs. 

Com o fascínio de Sagan com a busca de vida inteligente no Universo cresceu sua frustração com o culto de UFO. A medida que ele esteva confiante de que há vida inteligente está lá fora em algum lugar, ele também tinha certeza que não estavam pendurado ao redor da Terra, zumbindo em estradas desertas e realizando testes sobre a população. Nesta e em muitas outras áreas, Sagan foi um notável cético, sempre defendendo o poder de investigação científica sobre a crença cega. 

7. A Sociedade Planetária. 

Em 1980, Sagan fundou a Sociedade Planetária, juntamente com Bruce Murray e Louis Friedman. Com a sua missão "Para inspirar e envolver o público do mundo na exploração do espaço através da advocacia, projetos e educação," a sociedade é hoje o maior grupo de interesse espacial do mundo. Através do trabalho independente e financiamento privado, a Sociedade Planetária está criando sua própria nave espacial para testar as possibilidades da vela solar. Financia igualmente outras entidades em uma ampla variedade de esforços, a partir de pesquisa em Marte à ação política.

8. dilema de deflexão. 

Um importante campo de estudo para a sociedade planetária e Sagan era objetos próximos da Terra – asteroides, meteoros e outros objetos que poderiam colidir com a Terra em um efeito devastador. Alguns propuseram a solução cinematográfica de disparar mísseis nucleares que poderiam desviar um NEO de sua rota de colisão, alterando o seu caminho, então ele iria passar sem causar danos a Terra. Sagan rebateu esta ideia com o pensamento preocupante que se nós criarmos a capacidade de desviar um NEO longe da terra, também criaríamos a capacidade de desviar um em direção à Terra – assim aproveitaríamos sua potência além de qualquer uma das nossas tecnologias atuais e colocaríamos em perigo a nós mesmos e outras nações. Este dilema de deflexão é apenas um exemplo das muitas maneiras na qual Sagan aplicava princípios científicos a questões políticas, a tentativa de incentivar o pensamento crítico em todas as áreas. Ele também reflete sua grave preocupação sobre armas de destruição em massa – ele falava contra elas, muitas vezes e avisou-nos de suas terríveis consequências. 

9. Escritos.

Sagan foi o autor ou co-autor de 20 publicações, usando seu estilo amigável e acessível escrito para trazer a ciência  'pé no chão' para aqueles de nós sem pós-graduação em astrofísica. Desde seus primeiros - Planetas, um contributo para a série Time Life Books - até seus dois últimos trabalhos, brilhantemente escritos enquanto ele estava em tratamento doloroso e estressante devido a mielodisplasia que levaria sua vida, Sagan procurou compartilhar sua fome de conhecimento com seus leitores. Ele até escreveu um romance, Contato, que foi transformado em um filme bem recebido e premiado que explora a ideia de Sagan de como seria a nossa primeira experiência com inteligência extraterrestre.

10. Maravilha.

Através de tudo isso, suas enormes realizações científicas e suas aparições públicas populares, Sagan nunca perdeu a coisa que o fez tão notável e tão amado - seu sentimento de admiração. Ele não era apenas um cientista, porque ele foi brilhante e sabia como fazer o trabalho; ele também era um cientista, porque ele pensava que a ciência era pura. Seu entusiasmo em seus discursos e aparições na TV, suas publicações e descobertas e hipóteses, e em seu entusiasmo ao longo da vida para com a  ciência. E, sempre, em suas duas principais metas - o avanço do conhecimento científico, e levar esse conhecimento para as pessoas. 



Traduzido e adaptado de Legacy

......................

Autor Felipe Sérvulo

Graduado em Física pela UEPB. Mestrando em Cosmologia, gravitação e física das partículas pela UFCG. Possui experiência na área de divulgação científica com ênfase em astronomia, astrofísica, astrobiologia, cosmologia, biologia evolutiva e história da ciência. Possui experiência na área de docência informática, física, química e matemática, com ênfase em desenvolvimento de websites e design gráfico e experiência na área de artes, com ênfase em pinturas e desenhos realistas. Fundador do Projeto Mistérios do Universo, colaborador, editor, tradutor e colaborador da Sociedade Científica e do Universo Racionalista. Membro da Associação Paraibana de Astronomia. Pai, nerd, geek, colecionador, aficionado pela arte, pela astronomia e pelo Universo. Curriculum Lattes: http://lattes.cnpq.br/8938378819014229
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga
Comentários
0 Comentários

Newsletter