Select Menu
» » » » » » Começam as buscas por vida inteligente em anomalia estelar encontrada recentemente
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

A busca por sinais de vida em um sistema da estrela misteriosa  que levantou a hipótese de uma "mega estrutura alienígena" está em andamento.



Os astrônomos começaram a usar o Allen Telescope Array (ATA), um sistema de antenas de rádio com cerca de 300 milhas (483 quilômetros) a nordeste de San Francisco, para caçar sinais provenientes do imediações do KIC 8462852, uma estrela que encontra-se a 1.500 anos-luz da Terra.

O Telescópio espacial Kepler da NASA descobriu que KIC 8462852 esmaeceu estranhamente e de forma dramática várias vezes ao longo dos últimos anos. Os eventos de escurecimento foram muito substanciais para serem causados por um planeta cruzando o rosto da estrela, disseram os pesquisadores, e outras explicações possíveis, tais como uma enorme nuvem de poeira, não são plausíveis.

A principal hipótese no momento envolve um enxame de cometas que podem ter sido enviados cambaleando em direção KIC 8462852, possivelmente após um empurrão gravitacional de uma estrela de passagem. Mas também é possível, dizem os astrônomos, que o sinal recebido pelo Kepler foi causado por enormes estruturas construídas por uma civilização alienígena - digamos, uma variedade gigante de orbitar painéis solares.

Esta última possibilidade, por mais remota que possa ser, colocou KIC 8462852 na mira de cientistas que caçam sinais que possam ter sido gerados por alienígenas inteligentes.

"Nós estamos olhando para eles com o Allen Telescope Array", disse Seth Shostak, astrônomo sênior do Instituto SETI (Busca por Inteligência Extraterrestre, em Inglês) em Mountain View, Califórnia.

"Não há problema com isso, eu acho que devemos, com certeza", disse Shostak. Mas, acrescentou, as pessoas "talvez devessem moderar seu entusiasmo com as lições da história."

Shostak citou o exemplo de pulsares, cadáveres estelares superdensos que emitem feixes de radiação de alta energia e que giram super rápido. Estes feixes são captados por instrumentos ao redor da Terra como pulsos regulares, pois eles só podem ser detectados quando eles são disparados diretamente para o planeta (um evento que ocorre em intervalos previsíveis por causa de rotação dos pulsares).

Os astrônomos sabem tudo isso agora. Mas na década de 1960, quando os primeiros sinais de pulsares foram descobertos, alguns cientistas interpretaram-los como possíveis transmissões alienígenas.

"Então, a história sugere que vamos encontrar uma explicação para esta que não envolve Klingons", disse Shostak.

Mas até que tal explicação seja encontrada, a hipótese de vida inteligente ainda estará em cima da mesa, mesmo que o ATA e outros instrumentos como ele virão com sem dados. A falta de um sinal detectável, apesar de tudo, não estabelece que KIC 8462852 seja um sistema sem vida.

A estrela pode suportar formas de vida que não emitem sinais que podemos captar, por exemplo. Ou pode uma vez ter hospedado uma civilização que, desde então, foram extintas, deixando o megaestrutura estranha como uma espécie de monumento.

O principal trabalho do caça-planetas de Kepler sugere que a Via Láctea está repleta de bilhões de planetas rochosos, potencialmente habitáveis. Então KIC 8462852 está longe de ser a única pista que Shostak e seus colegas estudarão nos próximos anos.

"Então quase não importa para onde você apontar seu telescópio, porque existem planetas em toda parte", disse Shostak. "Se há alguém lá fora, existirão muitos deles, e eu acho que há uma chance de encontrarmos."

......................

Autor Felipe Sérvulo

Graduado em Física pela UEPB. Mestrando em Cosmologia, gravitação e física das partículas pela UFCG. Possui experiência na área de divulgação científica com ênfase em astronomia, astrofísica, astrobiologia, cosmologia, biologia evolutiva e história da ciência. Possui experiência na área de docência informática, física, química e matemática, com ênfase em desenvolvimento de websites e design gráfico e experiência na área de artes, com ênfase em pinturas e desenhos realistas. Fundador do Projeto Mistérios do Universo, colaborador, editor, tradutor e colaborador da Sociedade Científica e do Universo Racionalista. Membro da Associação Paraibana de Astronomia. Pai, nerd, geek, colecionador, aficionado pela arte, pela astronomia e pelo Universo. Curriculum Lattes: http://lattes.cnpq.br/8938378819014229
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga
Comentários
0 Comentários

Newsletter