Select Menu
» » » » » Até onde vai a "gula" de um Buraco Negro?
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Os buracos negros podem ter um limite para o quanto eles podem "comer".


Buraco negro
Representação artística de um buraco negro supermassivo.
O próprio buraco negro é escuro, mas estes animais podem ser
vistos  através do universo observável pela luz emitida a partir
dos discos de acreção que os alimentam. NASA / JPL-Caltech 
Mesmo o buraco negro mais guloso chega a um ponto crucial no que diz respeito à quantidade de alimento de seu jantar, preferindo a esgueirar-se seus deleites às escondidas.

O limite da gula de um buraco negro é cerca de 50 bilhões de vezes a massa do Sol, segundo cálculos de Andrew King (Universidade de Leicester, Reino Unido, e da Universidade de Amsterdam, The Netherlands). Por algum raciocínio aparentemente simples publicado em 10 de dezembro de 2015, no Monthly Notices da Royal Astronomical Society, King mostra que uma vez que um buraco negro atinge essa massa, o disco de gás que atuou como jantar de buffet do buraco negro começa a desintegrar-se à parte, colapsando sob seu próprio peso dentro das estrelas.

O disco gasoso que alimenta os buracos negros é o que nos permite ver esses objetos escuros, mesmo a partir de um universo distante a menos de 1 bilhão de anos de idade. Tire o gás e você tirará a luz visível e ultravioleta que sinaliza a comilança de um buraco negro.

"Se o buraco negro é muito grande, então o disco de gás teria de ser correspondentemente grande e maciço", explica Zoltan Haiman (Columbia University). "A ideia principal no artigo de King é que acima de uma certa massa, o gás em tal disco seria gravitacionalmente instável - ou seja, ele entraria em colapso em aglomerados sob seu próprio peso, antes que o gás possa afunilar para dentro para o buraco negro"

Em outras palavras, mesmo a imensa força gravitacional de um buraco negro com 50 bilhões de massa solares não pode superar a auto-gravidade que aglomera a matéria circundante.

"Acho essa ideia muito atraente", disse Haiman.

Mas isso não quer dizer que o buraco negro irá parar de crescer completamente. Ele só tem que engolir massa escondido, sem emitir qualquer luz. Uma estrela poderia cair direto para ele, ser engolida inteiramente, ou poderia se fundir com outro buraco negro.

Astrônomos descobriram buracos negros com massas de cerca de 10 bilhões de sóis, próximo do limite teórico de King, mas eles encontraram-nos, procurando a baliza do disco de acreção de luz. "O limite de massa significa que esse procedimento não deve transformar quaisquer massas muito maiores do que aquelas que conhecemos, porque não haveria um disco luminoso", disse King em um comunicado de imprensa.

No entanto, é possível que os gigantes ainda maiores podem existir silenciosamente em núcleos galácticos próximos. Para encontrá-los, os astrônomos terão de recorrer a meios mais indiretos de detecção, tais como lentes gravitacionais.

Traduzido e adaptado de Sky and Telescope

......................

Autor Felipe Sérvulo

Graduado em Física pela UEPB. Mestrando em Cosmologia, gravitação e física das partículas pela UFCG. Possui experiência na área de divulgação científica com ênfase em astronomia, astrofísica, astrobiologia, cosmologia, biologia evolutiva e história da ciência. Possui experiência na área de docência informática, física, química e matemática, com ênfase em desenvolvimento de websites e design gráfico e experiência na área de artes, com ênfase em pinturas e desenhos realistas. Fundador do Projeto Mistérios do Universo, colaborador, editor, tradutor e colaborador da Sociedade Científica e do Universo Racionalista. Membro da Associação Paraibana de Astronomia. Pai, nerd, geek, colecionador, aficionado pela arte, pela astronomia e pelo Universo. Curriculum Lattes: http://lattes.cnpq.br/8938378819014229
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga
Comentários
0 Comentários

Newsletter