Select Menu
» » » » Tudo que você precisa saber sobre a chuva de meteoros Lirídas 2016
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga



A chuva de meteoros anual Líridas está ativa a cada ano durante os dias 16 e 25 de abril. Em 2016, o pico desta chuva - que tende a vir em uma explosão e, geralmente, dura menos de um dia - é esperado para cair na madrugada entre os dias 21 e 22 abril, embora sob a luz ofuscante da lua cheia. O maior número de meteoros caem geralmente durante as poucas horas antes do amanhecer, que é a melhor hora para observação. Em 2016, no entanto, o momento não poderia ser muito pior pois o pico das Líridas praticamente está na mesma hora que a lua cheia de abril 2016. As perspectivas da chuva de meteoros Líridas são muito desfavoráveis para esse ano! Mas se você é daqueles persistentes, poderá ver alguns meteoros mesmo com a Lua cheia. 


Quantos meteoros Líridas posso esperar para ver em 2016?


Você pode achar um meteoro das Líridas no céu a qualquer momento durante 16-25 de abril, mas os maioria dos meteoros provavelmente cairão nas horas escuras antes do amanhecer em 22 de abril. Em um céu sem lua, você pode ver cerca de 10 a 20 meteoros uma hora no pico do chuva. Mas este ano, em 2016, a lua cheia e o pico da chuva de meteoros Líridas cairão na mesma data. Então você vai ver muito menos meteoros, se houverem!


Claro, chuvas de meteoros são notórias por desafiarem as previsões mais cuidadosos. As Líridas não tem nenhuma exceção. Uma explosão de meteoros (ou tempestade) Líridas é sempre uma possibilidade (embora nenhuma explosão Líridas esteja previsto para 2016).

Por exemplo, observadores americanos viram uma tempestade de cerca de 100 meteoros por hora em 1982. Cerca de 100 meteoros por hora foram vistos na Grécia, em 1922 e do Japão, em 1945.

Estas tempestades são escassas, e, este ano, não importa como muitos meteoros estão caindo, a lua cheia vai  ofuscar a maioria dos meteoros da vista.

A propósito, se você conseguir ver um meteoro... observe se sai uma trilha persistente – ou seja, uma trilha de gás ionizado que brilha por alguns segundos depois que o meteoro passar. Cerca de um quarto dos meteoros Líridas deixam trilhas persistentes.

Outro ponto de vista da estrela brilhante Vega, que quase coincide com a chuva de meteoros no ponto radiante das Líridas. Imagem via AlltheSky


Onde está o ponto radiante da chuva de meteoros Líridas? 

Se você rastrear os caminhos de todos os meteoros Líridas, eles parecem irradiar da constelação Lira, ou harpa, perto da brilhante estrela Vega. Este é apenas um alinhamento. Os meteoros são queimados na atmosfera a cerca de 100km. Enquanto isso, Vega fica trilhões de vezes mais longe a 25 anos-luz. E é da constelação da estrela Vega, Lira, que a chuva de meteoros Líridas leva o seu nome.

Você não precisa identificar Vega ou sua constelação Lira, para assistir as Líridas. A ideia é que você deve reconhecer o ponto radiante de uma chuva de meteoros para ver qualquer meteoro é completamente falsa. Quaisquer meteoros visíveis no céu frequentemente aparecem inesperadamente, em quaisquer partes do céu.


O ponto radiante da chuva de meteoros Líridas aproxima-se da m brilhante estrela Vega na constelação de Lira, a harpa.


No entanto, saber o tempo de subida do ponto radiante ajuda a saber quando a chuva está melhor visível no seu céu. Quanto mais a estrela Vega subir para o céu, mais meteoros você irá ver. Esteja ciente de que a estrela Vega reside muito longe ao norte do Equador Celeste, então, por essa razão, a chuva de meteoros Líridas favorece o hemisfério norte.  Caso tenha alguma dificuldade, use aplicativos para celular como SkyView, Carta Celeste ou Star Walk 2 (para Android e IOS).

Já para o hemisfério Sul, você também verá a chuva de meteoros, embora você fique com mais dificuldade de ver a constelação de Lira quanto mais ao Sul você residir. Por exemplo, para pessoas de São Paulo, a estrela Vega estará bem perto do horizonte, mas para as pessoas do Rio Grande do Norte, sua posição da estrela ficará um pouco acima no céu (cerca de 39º de declinação máxima). Para procurar a estrela Vega, olhe para o Nordeste geográfico (Veja imagem abaixo no Stellarum).

Posição da Constela~~ao de Lira e a estrela Vega para quem reside em São Paulo. Imagem: Stellarum


A história dos Meteoros Líridas na história. 

A chuva de meteoros Líridas está entre o mais velha conhecida. Registros desta chuva datam de cerca de 2.700 anos.

Os antigos chineses disseram ter observado as Líridas "caindo como chuva" no ano 687 BC.

Portrait of Confucius.Esse período de tempo na China antiga, a propósito, corresponde com o que é chamado o período de outono e primavera (aproximadamente 771 a 476 A.C.), onde tradição associa o professor chinês e o filósofo Confúcio, um dos primeiros a abraçar o princípio: "Não faça aos outros o não quer fazer consigo mesmo." Eu me pergunto se alguém trancou Confúcio dentro do calabouço para que ele não visse a chuva Líridas.

O cometa Thatcher é a fonte de meteoros Líridas.


Todos os anos, na parte posterior de abril, o nosso planeta Terra cruza o caminho orbital do cometa Thatcher (C/1861 G1), de que não há nenhuma fotografia devido a sua órbita de mais ou menos 415 anos em torno do sol. Cometa Thatcher visitou pela última vez o sistema solar interior em 1861, antes que o processo fotográfico se generalizasse. Este cometa não é esperado para retornar até o ano 2276.

Pedaços derramados por lixos desse cometa bombardeiam a atmosfera da terra a 177.000 quilômetros por hora. As estrias de vaporização de detritos se tornam os meteoros Líridas.

É quando a Terra passa por um invulgarmente espesso aglomerado de entulho do cometa que um elevado número de meteoros pode ser visto.

Resumindo: a chuva de meteoros Líridas dispõe de 10 a 20 meteoros por hora em seu pico em uma noite sem lua. Em 2016, o pico é na manhã do dia 22 de abril. A lua cheia ocorre na noite do pico da chuva deste ano, podendo ofuscar a visualização. Como todas as chuvas de meteoros, a Líridas não é completamente previsível. Em raros casos, eles podem bombardear o céu com até cerca de 100 meteoros por hora. Nenhuma tempestade de meteoros Líridas está prevista para este ano... mas nunca se sabe. Ademais, busque um lugar tranquilo, pouco iluminado e de preferência com um bom gramado e uma boa companhia. Bons céus a todos e uma ótima observação.

......................

Autor Felipe Sérvulo

Graduado em Física pela UEPB. Mestrando em Cosmologia, gravitação e física das partículas pela UFCG. Possui experiência na área de divulgação científica com ênfase em astronomia, astrofísica, astrobiologia, cosmologia, biologia evolutiva e história da ciência. Possui experiência na área de docência informática, física, química e matemática, com ênfase em desenvolvimento de websites e design gráfico e experiência na área de artes, com ênfase em pinturas e desenhos realistas. Fundador do Projeto Mistérios do Universo, colaborador, editor, tradutor e colaborador da Sociedade Científica e do Universo Racionalista. Membro da Associação Paraibana de Astronomia. Pai, nerd, geek, colecionador, aficionado pela arte, pela astronomia e pelo Universo. Curriculum Lattes: http://lattes.cnpq.br/8938378819014229
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga
Comentários
0 Comentários

Newsletter