Select Menu
» » » » » Ondas gravitacionais podem ser a chave para testar as cordas cósmicas, segundo os físicos
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Hora de retocar a teoria das cordas.




Em fevereiro deste ano, os físicos nos deram uma das mais excitantes descobertas científicas do século - a primeira evidência direta de ondas gravitacionais. Estas ondas são como ondas que se expandem após um evento importante no espaço, quando dois buracos negros se fundem ou quando ocorrer uma explosão de uma estrela massiva.

A descoberta deu-nos uma nova maneira de olhar para o universo, e isso é algo que dois físicos na Espanha estão aproveitando, testando outra hipótese científica: a teoria das cordas. E se suas idéias estiverem corretas, isso poderia mudar fundamentalmente nosso pensamento sobre a natureza do Universo.

Em primeiro lugar, é importante entender como as ondas gravitacionais trabalham. No Universo primordial, tudo era muito mais denso do que é agora, o que resultou em uma grande quantidade de espalhamento de luz . Esses sinais de fótons podem ser um grande problema quando se trata de perscrutar profundamente no universo olhando para trás no tempo, porque há muito ruído de fundo.

O que faz as  ondas gravitacionais serem  especiais é que seus movimentos não parecem ser afetados pela interferência de elétrons e prótons.  Na verdade, as ondas gravitacionais podem permitir-nos observar objetos e eventos que não emitem qualquer luz, incluindo as "cordas cósmicas", que  estão na base da famosa hipótese a teoria das cordas.

A teoria das cordas tem como objetivo fornecer uma abordagem unificada para explicar a estrutura fundamental do Universo. Ele sugere que as cordas cósmicas - estruturas incrivelmente longas e finas deleitas na curvatura do espaço e do tempo - foram formadas logo após o Big Bang. Infelizmente, estas cordas cósmicas podem ter  se obliterado muitas eras atrás e, para encontrar um grande número delas, nós teríamos que voltar para os primeiros momentos do Universo.

E isso nos traz de volta às ondas gravitacionais. Os físicos Isabel Fernandez-Nunez e Oleg Bulashenko da Universidade de Barcelona  pensam que as ondas gravitacionais poderiam nos ajudar a encontrar cordas cósmicas.

Fernandez-Nunez e Bulashenko começaram retratando uma corda como um vinco acentuado no espaço-tempo, e então calcularam como uma onda gravitacional passaria por essa vinco. Se pudermos encontrar ondulações que correspondem esses cálculos, então nós podemos ter evidência de uma corda cósmica, eles sugerem.


Há obstáculos a superar antes de podermos testar sua hipótese, porque agora, não temos o tipo de tecnologia para medir ondas gravitacionais na maneira que a hipótese da dupla requer. Além disso, nós também teríamos que ter muita sorte para encontrar um padrão da intensidade correta de nossa posição na Terra.

Mas ainda estamos nos primeiros dias na era da astronomia de ondas gravitacionais, por isso os cientistas ainda estão compartilhando ideias sobre como nós podemos ser capazes de tirar o máximo proveito desta descoberta.

O paper dos pesquisadores está disponível no site de pré-impressão, arXiv.org, mas ainda tem que passar pela revisão por pares de outros astrofísicos, por isso vamos ter que esperar e ver o que a comunidade diz sobre essa nova hipótese antes de nós podermos ficar muito animados.  Dito isto, esta não é a primeira vez que os cientistas têm especulado que as ondas gravitacionais poderiam nos levar a cordas cósmicas.  

BS Sathyaprakash da Universidade de Cardiff, no Reino Unido, que trabalha no observatório onde as ondas gravitacionais foram medidas, é bem otimista:  "Estou bastante confiante de que nos próximos três ou quatro anos vamos estar fazendo detecções uma atrás da outra e descobrirmos mais coisas novas", disse Tim Radford ao The Guardian .

Mal podemos esperar para ver o que eles acharão.

Traduzido e adaptado de Sciente Alert

......................

Autor Felipe Sérvulo

Graduado em Física pela UEPB. Mestrando em Cosmologia, gravitação e física das partículas pela UFCG. Possui experiência na área de divulgação científica com ênfase em astronomia, astrofísica, astrobiologia, cosmologia, biologia evolutiva e história da ciência. Possui experiência na área de docência informática, física, química e matemática, com ênfase em desenvolvimento de websites e design gráfico e experiência na área de artes, com ênfase em pinturas e desenhos realistas. Fundador do Projeto Mistérios do Universo, colaborador, editor, tradutor e colaborador da Sociedade Científica e do Universo Racionalista. Membro da Associação Paraibana de Astronomia. Pai, nerd, geek, colecionador, aficionado pela arte, pela astronomia e pelo Universo. Curriculum Lattes: http://lattes.cnpq.br/8938378819014229
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga
Comentários
0 Comentários

Newsletter