Select Menu
» » » » Estranhos hematomas em Michael Phelps: a terapia "cupping" realmente funciona?
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga



Vários atletas olímpicos, incluindo o nadador Michael Phelps, o maior medalhista olímpico de todos os tempos, que foi flagrado nas piscinas dos jogos do Rio 2016 com marcas circulares de aparência estranha em seus corpos. Essas marcas são o resultado da "terapia de cupping (escavação)", uma tradicional prática medicinal chinesa para cura muscular. Mas isso realmente funciona? 

Embora muitos atletas alegam já ter experimentado os benefícios da terapia, existem poucos estudos científicos rigorosos sobre o tema, e não está claro se os benefícios percebidos dos tratamentos podem ser devido ao efeito placebo, disseram especialistas.

"Eu não acho que a questão do método funcionar cientificamente está resolvida", disse o Dr. Brent Bauer, diretor da Clínica Mayo e do  Programa Complementar de Medicina Integrativa. Além disso, o tratamento não deve ser pensado como uma "cura mágica" para afecções das pessoas, disse ele. Mas porque o tratamento é relativamente seguro e há algumas evidências de que eles seja útil para algumas pessoas, a terapia pode ser usada como parte de um programa de tratamento abrangente, que envolve outros exercícios, escolhas nutricionais e intervenções no estilo de vida, disse Bauer.

A terapia envolve anexar copos circulares na pele usando sucção. A sucção é criada através de aquecimento de uma taça (que forma um vácuo) ou utilizando uma bomba portátil. Esta sucção puxa a pele para cima no copo. Os defensores do tratamento dizem que a sucção aumenta o fluxo sanguíneo para a área, o que, por sua vez, reduz a tensão muscular e inflamação, e promove a cura.

Mas a terapia também pode causar pequenas arrebentações em vasos sanguíneos, o que leva a machucados circulares distintivos. Esses hematomas podem durar de três dias a várias semanas, disse Marcus Williams, um fisioterapeuta da The Ohio State University Medical Center Wexner, adepto da terapia.

Alguns estudos menores sugeriram que a terapia cupping pode reduzir a dor no joelho e a dor de garganta. Por exemplo, um estudo de 2011 feito com 50 pessoas com dor de garganta crônica descobriu que aqueles que receberam cinco tratamentos com terapia durante mais de duas semanas relataram uma diminuição maior na sua dor do que as pessoas que não receberam o tratamento.

Mas este estudo incluiu o que é chamado um grupo de controle passivo - um grupo que não recebeu qualquer tratamento. Isso torna difícil determinar se os benefícios percebidos das ventosas poderia ser resultado de um efeito placebo, disseram os pesquisadores. (Um efeito placebo é o resultado da sensação psicológica falsa na qual as pessoas têm em relação à eficácia do tratamento, ignorando quaisquer efeitos fisiológicos). Os pesquisadores pediram mais estudos para comparar a eficácia de terapia com os tratamentos placebos.

Para trazer à tona se os benefícios de uma terapia resultam de um efeito placebo, os pesquisadores às vezes tentam "cegar" seus súditos, o que significa que os participantes não sabem se estão recebendo um determinado tratamento. Mas com a terapia das ventosas isto se torna difícil, uma vez que a terapia pode deixar marcas, de acordo com o estudo de 2011. Alguns pesquisadores têm tentado contornar este problema, fornecendo um tratamento de "sham", que é semelhante ao tratamento real, mas é feito de uma forma que não deve fornecer o benefício.

Em um estudo de 2015, pesquisadores da Alemanha testaram se colocando a terapia funcionava melhor do que um tratamento placebo para pacientes com fibromialgia, uma doença crônica que causa dor generalizada e rigidez muscular. Tanto o tratamento real quanto o tratamento simulado utilizaram o mesmo tipo de copos, mas com o tratamento placebo, os copos tinha um buraco na parte superior de modo que não poderia criar a sucção adequada. (Os doentes no estudo foram informados de que iria receber uma método tradicional ou "método suave", mas eles não foram informados de que a chamado método suave era um tratamento simulado, ou seja, eles iriam testar o efeito placebo).

A maioria dos pacientes no estudo adivinharam corretamente qual método tinham sido dado a eles: o tradicional ou o suave. Os pacientes em ambos os grupos apresentaram as mesmas reduções na dor, o que sugere "os efeitos da terapia cupping poderiam ser confundidos pelos efeitos que não são específicos para o próprio tratamento", disseram os pesquisadores.

Independentemente de vantagens percebidas da terapia resultar de um efeito fisiológico ou um efeito de placebo, a terapia pode ainda ser útil para algumas pessoas, disse Bauer. "Se esse é o tratamento que dá me beneficia... se essa é a hora de reduzir o meu sofrimento [com esta terapia]... então eu acho que temos que ser um pouco mais abertos à ideia de permitir que os pacientes alguma escolha", enquanto o a terapia for segura, disse Bauer.

Os efeitos da terapia cupping são a sensação de formigamento, tensão, dores locais, dores de cabeça, cansaço e, em alguns casos mais graves, infecções locais, embora os relatos sejam raros. 
Terapia


Não é de hoje que atletas usam métodos paralelos e tradicionais para melhorar seu desempenho nas provas olímpicas. 

Em 2008 e 2012, os atletas olímpicos foram vistos usando um adesivo brilhante conhecida como Kinesio em seus ombros, costas e quadris.

A fita especial foi desenvolvida há mais de 30 anos pelo quiropraxista japonês Kenzo Kase, que afirma que a fita elástica reduz a dor e suporta os músculos sem restringir o movimento como outras fitas de esportes tradicionais. A fita "alivia o desconforto e facilita a drenagem linfática por microscopicamente levantando a pele", de acordo com o website Kinesio .

"Precisamos de mais evidências. Não temos relatórios de pesquisa. Parte da razão as pessoas estão usando a fita Kinesio é encontrar a ciência",  disse Kase BBC News antes dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 .

"Pessoalmente, acho que [a fita] é mais um efeito placebo", disse John Brewer, professor de esportes na Universidade de Bedfordshire, à BBC. "Não há dados científicos firmes para mostrar que isso tem um impacto sobre o desempenho ou evita lesões."

"Precisamos de mais evidências. Não temos relatórios de pesquisa. Parte da razão das pessoas que estão usando a fita Kinesio é encontrar a ciência", disse Kase à BBC News antes dos Jogos Olímpicos de Londres 2012.

Enquanto não saem mais estudos científicos detalhados confirmando ou não sua eficácia, há uma chance enorme - diante de estudos anteriores e casos semelhantes - de que os efeitos benéficos da terapia cupping sejam puramente psicológicos.


......................

Autor Felipe Sérvulo

Graduado em Física pela UEPB. Mestrando em Cosmologia, gravitação e física das partículas pela UFCG. Possui experiência na área de divulgação científica com ênfase em astronomia, astrofísica, astrobiologia, cosmologia, biologia evolutiva e história da ciência. Possui experiência na área de docência informática, física, química e matemática, com ênfase em desenvolvimento de websites e design gráfico e experiência na área de artes, com ênfase em pinturas e desenhos realistas. Fundador do Projeto Mistérios do Universo, colaborador, editor, tradutor e colaborador da Sociedade Científica e do Universo Racionalista. Membro da Associação Paraibana de Astronomia. Pai, nerd, geek, colecionador, aficionado pela arte, pela astronomia e pelo Universo. Curriculum Lattes: http://lattes.cnpq.br/8938378819014229
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga
Comentários
0 Comentários

Newsletter