Select Menu
» » » » » Chuva de meteoros Oriónidas 2016 - assista ao vivo
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga


Foto dos meteoros Oriónidas de 2011, próximo do Monte Shasta, na Califórnia. Uma foto composta de cada meteoro capturado durante a noite. A imagem foi vencedora do Grande Prêmio do Terceiro Concurso de Fotografia Annual da Magazine Photography.


Na noite de 20 de outubro de 2016 ocorrerá o pico da Chuva de Meteoros Oriónidas. Os meteoros devem tornar-se visíveis, começando na noite no dia 20 de outubro, mas provavelmente, o horário mais prolífico será nas poucas horas antes do amanhecer em 21 de outubro. Você poderá observar, através de um local escuro, um máximo de cerca de 10 a 15 meteoros por hora, embora o brilho do luar possa atrapalhar a visualização este ano.

Como é padrão para a maioria das chuvas de meteoros, o melhor momento para assistir a esta chuva será entre as horas da meia-noite do dia 20 e madrugada do dia 21 -  independentemente do seu fuso horário.

Os meteoros - vaporização pedaços de gelo e poeira de cometas - serão parecidos com raios de luz no céu noturno. Eles são popularmente chamados de estrelas cadentes.

Meteoros Oriónidas irradiando a partir da constelação de Orion, mostrado nesta foto de alguns dias - 16 de outubro de 2016 - por Zefri Besar em Brunei Darussalam. Ele escreveu: "Foto por volta de 01:00. A noite foi brilhante por causa da lua cheia."

Em 2016, há uma lua crescente em declínio no céu durante o pico das Oriónidas.

Para um prêmio de consolação, no entanto, o céu da madrugada e o amanhecer oferece uma excelente vista da estrela Sírius, a mais brilhante do céu. Então, a algumas horas antes do amanhecer, procure o deslumbrante planeta Júpiter, à leste, o objeto mais brilhante como uma estrela no céu da manhã.


Júpiter está agora baixo no leste antes do amanhecer. Sirius, a estrela mais brilhante do céu, está mais fraca do que Júpiter. Se você não conseguir encontrar Júpiter, espere até o final de outubro, quando a lua minguante será o seu guia. 

As Oriónidas decorrem de restos do mais famoso de todos os cometas, o Cometa Halley, na foto abaixo. A imagem mostra cometa Halley em sua visita em 1910. A última vez que ele visitou a Terra foi em 1986 e a sua próxima visita será em 2061.

À medida que o Cometa Halley se move através do espaço, ele deixa detritos na sua esteira que atinge a atmosfera da Terra mais plenamente em torno de 20-22 outubro, a cada ano. O cometa está longe, mas, por volta dessa época a cada ano, a Terra cruza a órbita do cometa e acaba capturando os seus detritos, que se transformam na chuva de meteoros Oriónidas.

Cometa Halley em sua visita, em 1910. O famoso astrônomo Edward Emerson Barnard no Yerkes Observatory em Wisconsin fez esta foto do cometa.  Imagem via Wikimedia Commons.

Se os meteoros são originários de cometa Halley, por que eles são chamados os Oriónidas? A resposta é que o nome das chuvas de meteoros anuais são originados a partir do ponto no nosso céu a no qual eles parecem irradiar. O ponto radiante para as Oriónidas está na direção da constelação de Orion, o Caçador. Daí o nome.

Ver um só meteoro no céu, já é uma grande emoção. Traga uma cadeira, cobertor ou fique no gramado - após a meia-noite ou de madrugada - e deite-se confortavelmente enquanto olha para cima. Apesar de se uma chuva um pouco modesta, estes meteoros velozes são por vezes brilhante e às vezes deixam um rastro persistente - um traço brilhante que permanece momentaneamente depois que o meteoro passar!

Resumindo: A melhor noite para a chuva de meteoros Oriónidas em 2016 é provavelmente a noite de 20-21 outubro, especialmente entre meia-noite e a madrugada de 21 de outubro. Você pode ver até 10 ou 15 meteoros por hora a partir de um local escuro, embora o brilho da lua possa interferir no show.

Assista ao vivo pelo Slooh Observatory:

......................

Autor Felipe Sérvulo

Graduado em Física pela UEPB. Mestrando em Cosmologia, gravitação e física das partículas pela UFCG. Possui experiência na área de divulgação científica com ênfase em astronomia, astrofísica, astrobiologia, cosmologia, biologia evolutiva e história da ciência. Possui experiência na área de docência informática, física, química e matemática, com ênfase em desenvolvimento de websites e design gráfico e experiência na área de artes, com ênfase em pinturas e desenhos realistas. Fundador do Projeto Mistérios do Universo, colaborador, editor, tradutor e colaborador da Sociedade Científica e do Universo Racionalista. Membro da Associação Paraibana de Astronomia. Pai, nerd, geek, colecionador, aficionado pela arte, pela astronomia e pelo Universo. Curriculum Lattes: http://lattes.cnpq.br/8938378819014229
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga
Comentários
0 Comentários

Newsletter