Select Menu
» » » » » » Tudo que você precisa saber antes de comprar seu primeiro telescópio
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Sky & Telescope listou sete qualidades importantes para a escolha de um telescópio: "(1) uma ocular que mostra uma imagem nítida de ponta a ponta; (2) focalizador suave com sensação 'precisa'; (3) montagem que move-se sem problemas em ambos os eixos; (4) montagem robusta e estável; (5) tubo instabiliza-se rapidamente após ser tocado; (6) a ocular estar a uma altura confortável para visualização enquanto você está sentado, e (7) uma luneta buscadora fácil de ajustar e de observar.

Desejando comprar um telescópio? Para certificar-se de que você faça a compra certa - e que você possa promover o amor pela astronomia a seus amigos e familiares - aqui estão algumas dicas que os especialistas da revista Sky & Telescope tem a dizer.

"Primeiramente, não espere muito da maioria dos telescópios que custam menos de U$ 200,00 (R$ 600,00) e, certamente, seja cauteloso de qualquer coisa vendida em uma loja de brinquedos ou loja de departamentos", disse Sean Walker, editor de equipamentos da revista Sky & Telescope, em um comunicado. 

"Faça alguma pesquisa antes de comprar, e depois vá a uma loja respeitável ou algum revendedor online especializado em telescópios ou produtos relacionados, tais como câmeras ou eletrônicos de consumo." 
















Refratores, refletores e telescópios compostos reúnem e concentram a luz de uma maneira diferente.

Escolha um tipo

Telescópios vêm em muitas formas diferentes. Existem três tipos gerais para escolher. Há os refratores, que coletam a luz com lentes; refletores, que utilizam espelhos; e telescópios compostos, que são os híbridos dos dois. 

Refratores apresentam uma lente na frente do tubo do telescópio. Eles não necessitam de muito esforço para se manter, mas eles ficam caros a medida que o tamanho da lente se torna maior. Existem dois tipos principais de refratores: apocrômatos e acrômatos. Você deve usar apocrômatos porque eles oferecem uma melhor qualidade óptica, apesar de serem mais caros.

Refletores são uma opção mais acessível do que refratores, mas eles exigem mais manutenção, porque sua óptica pode cair fora do alinhamento. Para reunir luz, os refletores usam um espelho curvo na extremidade traseira do tubo principal do telescópio.

Telescópios compostos utilizam ambas as lentes e espelhos para captar a luz, e eles são bastante portáteis, pois os seus tubos são mais compactos e mais leves. Os modelos mais populares são Schmidt-Cassegrain e Maksutov-Cassegrain.


Preste atenção à qualidade óptica ao fazer sua decisão de compra, e também escolha uma montagem estável, que faz com que seja fácil para você manobrar o alcance em torno do céu. É melhor experimentar telescópios antes de comprá-los. Uma dica é fazer uma visita a um clube de astronomia local ou até mesmo pedir emprestado a um amigo que já tenha um. Se possível, compre um novo (para que você saiba que você está recebendo) e evite a compra on-line a menos que haja uma boa política de retorno. Outra dica importante: fuja de marcas que prometem um grande aumento com um bom preço. Geralmente esses telescópios não prometem o que cumprem. 




Montagem altazimutal (à esquerda) permite que o telescópio se mova para cima e para baixo, bem como para a esquerda e direita, enquanto montagens equatoriais (à direita) permitem apenas um eixo, tornando mais fácil para que você possa rastrear objetos no céu. As montagens equatoriais são mais fáceis de controlar pelo motor.

Características de um telescópio

Há uma linguagem para aprender quando você está comprando um telescópio, mas o Sky & Telescope forneceu algumas breves definições para os termos mais relevantes.

A abertura refere-se ao diâmetro da lente principal, ou espelho, em um telescópio. Não só é importante para a recolha de luz, mas também para ver detalhes. Aberturas maiores coletam mais luz, o que significa que você pode ver objetos mais fracos (como galáxias) ou estruturas menores que estão em um corpo sólido (como crateras na Lua).

Abaixo estão algumas simulações de como o planeta Saturno é visto através de telescópios de 60mm a 300mm com aberturas, sob condições de observação diferentes. 

 
Distância focal refere-se à distância entre a lente principal/espelho e o ponto em que o objeto é colocado em foco. A distância focal é importante, porque é um fator de quão bem um telescópio amplia objetos. Para descobrir a ampliação, divida a distância focal do telescópio pela distância focal da ocular: Se você tem uma ocular de 25 milímetros e um refrator de 900 mm, a ampliação tem um poder de 36, escrito como 36x (ou, 900/25 = 36). Para evitar a imprecisão, certifique-se de ampliar um telescópio para não mais do que duas vezes a abertura de seu telescópio em milímetros (ou 50 vezes a abertura em polegadas).

Um localizador  ou luneta buscadora é uma uma peça auxiliar que é posta no telescópio. É bom ter um, porque torna mais fácil para você encontrar objetos no céu; olhando através do telescópio em si pode ser difícil em grandes ampliações. Muitos telescópios nos dias de hoje usar localizadores "red dot", que projetam um ponto vermelho (laser ou LED's), ou centram em um teste padrão, no céu sem ampliação da vista.

A buscadora ajuda astrônomos amadores a localizarem objetos no céu antes de olhar através do telescópio em alta ampliação. buscadoras tradicionais contam com um tipo de mira cruzada que se projeta contra o pano de fundo estelar, enquanto "1-power" ou localizadores 'red dot' marcam o campo de visão com um LED vermelho.

Certifique-se de usar uma boa montagem para o telescópio. Uma montagem altazimutal pode ser movida para cima e para baixo e para os lados, e normalmente requer que você faça correções manuais quando você está assistindo um objeto se mover através do céu. A melhor opção pode ser uma montagem equatorial, com um eixo alinhado paralelo ao eixo de rotação da Terra. Se você vive no Hemisfério Norte, é legal orientar-se a eixo equatorial apontando para a Estrela Polar, ou Polaris.

Usuários mais sofisticados podem quererem telescópios computadorizados, que podem mover-se automaticamente na direção certa para rastrear objetos no céu (uma vez que o telescópio está alinhado). Normalmente, você precisa inserir a data, hora e local da sua sessão antes de começar. Alguns sistemas exigem que você aponte o telescópio em dois ou três objetos luminosos, a fim de calibrá-lo. Este é o melhor para usuários avançados e aqueles com um bom orçamento; os telescópios com preços mais baixos nesta faixa tendem a ter pequenas aberturas. 

Com informações de Space.

......................

Autor Felipe Sérvulo

Graduado em Física pela UEPB. Mestrando em Cosmologia, gravitação e física das partículas pela UFCG. Possui experiência na área de divulgação científica com ênfase em astronomia, astrofísica, astrobiologia, cosmologia, biologia evolutiva e história da ciência. Possui experiência na área de docência informática, física, química e matemática, com ênfase em desenvolvimento de websites e design gráfico e experiência na área de artes, com ênfase em pinturas e desenhos realistas. Fundador do Projeto Mistérios do Universo, colaborador, editor, tradutor e colaborador da Sociedade Científica e do Universo Racionalista. Membro da Associação Paraibana de Astronomia. Pai, nerd, geek, colecionador, aficionado pela arte, pela astronomia e pelo Universo. Curriculum Lattes: http://lattes.cnpq.br/8938378819014229
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga
Comentários
0 Comentários

Newsletter