Select Menu
» » » » » » Beber café regularmente está associado a uma vida mais longa, mostram novos estudos
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Há algo verdadeiramente mágico sobre uma xícara de café. Uma xícara fumegante na parte da manhã pode ajudar a enfrentar o dia, um copo de café gelado vai animar você no calor da tarde, e uma caneca morna depois do jantar ajuda a reforçar a sua refeição.
No entanto, as pessoas frequentemente tentam limitar seu consumo de café por razões de saúde, temendo efeitos negativos.
Dois grandes estudos publicados em 10 de julho na revista Annals of Internal Medicine, no entanto, devem ajudar a amenizar esses temores.
Os estudos envolveram mais de 700.000 pessoas e descobriram que os indivíduos que mais consumiam café estavam menos prováveis de morrer uma morte precoce por uma série de doenças, incluindo câncer, diabetes e doenças cardíacas.
E para aqueles que não querem consumir mais cafeína, não se preocupe - uma vida descafeinada parece oferecer os mesmos benefícios de saúde.
Mais café, menor risco de morte
Para o maior dos dois novos estudos, os pesquisadores analisaram dados de um estudo nutricional que acompanhou mais de 520.000 pessoas de 10 países europeus para uma média de 16,4 anos. E quanto mais café consumia o participante, menor era o risco de morte, os pesquisadores descobriram.
Uma taxa superior superior de 25% de bebedores de café no estudo disseram beber mais de 3 copos por dia. Entre esse grupo, os homens tinham 12 por cento menos probabilidade de morrer mais cedo do que as pessoas comparáveis ​​que evitam café completamente. E as mulheres que consumiram uma grande quantidade de café tinham 7 por cento menos probabilidade de morrer mais cedo.
Além de reduzir o risco geral de morte precoce, os investigadores encontraram redução do risco de morte por doenças do sistema digestivo e sistema circulatório. Para os homens, o consumo de café também foi associado com um menor risco de suicídio.
segundo estudo acompanhou os hábitos alimentares e de saúde de 185,855 americanos por apenas mais de 16 anos e encontraram reduções similares em risco de morte - neste caso de doenças cardíacas, câncer, doenças respiratórias, acidente vascular cerebral, diabetes e doença renal.
Em comparação com pessoas que não bebem café, as pessoas que bebiam de duas a três xícaras por dia tinham 18% menos probabilidade de morrer mais cedo. As pessoas que beberam um copo por dia tinham 12 por cento menos probabilidade de morrer do que aqueles que se abstiveram.
Este segundo estudo foi particularmente notável porque focou em populações americanas de diferentes etnias, incluindo negros, brancos, latinos, japoneses e havaianos-americanos. A maioria dos estudos anteriores sobre os efeitos do café sobre a longevidade se concentraram em pessoas de ascendência europeia.
Causa versus efeito
Estes estudos são observacionais, o que significa que não é possível estabelecer causa e efeito - Ninguém pode dizer com base nesses dados que beber mais café definitivamente vai prolongar a sua vida. Os investigadores tentaram controlar fatores como dieta, obesidade e tabagismo, mas ainda é possível que as pessoas que consomem café já sejam mais saudáveis por natureza, de alguma forma eles não controlam.
Uma vez que o café descafeinado também foi associado com maior longevidade, não é, provavelmente, a cafeína, que é a responsável por estes benefícios, mesmo se essa seja a razão para a maioria de nós beber café.
Num editorial publicado em conjunto com os estudos, um grupo de investigadores especularam que os benefícios do café pode vir de outros compostos que são extraídos quando a bebida é preparada, especialmente polifenóis antioxidantes. (A cafeína pode ainda ter alguns benefícios, no entanto.)
Mesmo se nós não soubermos se as causas de café aumentam a longevidade, essas novas descobertas sugerem que as pessoas não devem se sentir culpadas sobre o seu consumo de café.
Beber quantidades ilimitadas de café com cafeína poderia, eventualmente, colocá-lo em risco, mas até cerca de cinco xícaras por dia, os pesquisadores dizem que você não precisa se preocupar.

Traduzido e adaptado de Science Alert

. . . ......................

Autor Felipe Sérvulo

Graduado em Física pela UEPB. Mestrando em Cosmologia, gravitação e física das partículas pela UFCG. Possui experiência na área de divulgação científica com ênfase em astronomia, astrofísica, astrobiologia, cosmologia, biologia evolutiva e história da ciência. Possui experiência na área de docência informática, física, química e matemática, com ênfase em desenvolvimento de websites e design gráfico e experiência na área de artes, com ênfase em pinturas e desenhos realistas. Fundador do Projeto Mistérios do Universo, colaborador, editor, tradutor e colaborador da Sociedade Científica e do Universo Racionalista. Membro da Associação Paraibana de Astronomia. Pai, nerd, geek, colecionador, aficionado pela arte, pela astronomia e pelo Universo. Curriculum Lattes: http://lattes.cnpq.br/8938378819014229
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga
Comentários
0 Comentários

Newsletter