Select Menu
» » » » » » » Primeira Superlua de 2018 acontecerá no primeiro dia do ano novo - e isto é mais do que especial
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

2018 já se inicia com um grande evento astronômico: a segunda superlua de uma sequência de três acontecerá em 01 de janeiro. E no fim do mesmo mês de janeiro (dia 31), ocorrerá uma segunda superlua (geralmente chamada de lua azul, ou a segunda lua cheia no mesmo mês) que será acompanhada de um eclipse lunar total, visível da Ásia e Oceania. 

Diferentes culturas ao redor do mundo deram vários nomes a cada lua cheia do ano. A primeira lua cheia do ano é chamada de lua do lobo devido a ideia de que os lobos uivam para a Lua.

E, neste caso, também irá coincidir com a primeira superlua - uma lua cheia que coincide com o momento em que a órbita da Lua está mais próxima da Terra.

A diferença entre um superlua e uma lua cheia regular nem sempre é fácil de se observar a olho nu - no entanto, se você pudesse colocar uma superlua ao lado de uma microlua uma lua cheia em afélio (ponto da órbita mais distante da Terra, você a veria.

Mas olhar para cima para observar o nossa companheira celestial vale a pena, e uma superlua (ou uma lua cheia) é uma ocasião mais do que especial. 


Este evento é um pouco mais especial pelo fato de que esta superlua é uma das três que ocorrem em sequência. A primeira ocorreu em 3 de dezembro, esta ocorrerá em 1 de janeiro, e teremos uma terceira, ainda em janeiro, no dia 31.

E, como explica NASA, na sua postagem "trilogia da superlua", a superlua de 31 de janeiro definitivamente valerá a pena observar.

Geralmente, em uma superlua, o disco lunar fica 14% maior e 30% mais brilhante. NASA / JPL-Caltech

Segunda superlua no mesmo mês + "lua de sangue"

Uma segunda lua cheia irá acontecer em um mesmo mês - no caso, em janeiro. A segunda superlua do mês é chamada por algumas pessoas de lua azul. Elas acontecem cerca de uma vez a cada dois anos e meio.

Mas a NASA diz que a "superlua" também apresentará um eclipse lunar total, quando a Lua se alinha com a Terra e bloqueia a luz do Sol que vemos refletida na Lua. Isso ocorre duas vezes por ano.

Como a NASA explica: "A Lua perderá seu brilho e assumirá um brilho misterioso, mais fraco do que o normal, com a escassa luz solar atravessando a atmosfera da Terra. Muitas vezes, ela lança uma tonalidade avermelhada devido a forma com que a atmosfera dobra a luz. Luas totalmente eclipsadas às vezes são chamadas de "luas de sangue".

"O eclipse lunar em 31 de janeiro será visível durante o pôr da lua", disse Noah Petro, cientista de pesquisa do Goddard Space Flight Center da NASA. O eclipse lunar total será visível da Asia e Oceania e parcialmente da Europa, norte da Africa, EUA e América Central.

"As pessoas no leste dos Estados Unidos, onde o eclipse será parcial,  terão de acordar de madrugada para observá-lo."

Estas ocasiões servem para nos lembrar de uma coisa, diz Petro: não importa a hora ou o local, a Lua é algo belo e que vale a pena observar.

"As superluas são uma grande oportunidade para as pessoas começar a olhar para a Lua", disse ele, "não apenas uma vez, mas a cada chance que surgir!"

Anotem as datas e preparem seus telescópios, binóculos e olhos. Bons céus!

. . . ......................

Autor Felipe Sérvulo

Graduado em Física pela UEPB. Mestrando em Cosmologia, gravitação e física das partículas pela UFCG. Possui experiência na área de divulgação científica com ênfase em astronomia, astrofísica, astrobiologia, cosmologia, biologia evolutiva e história da ciência. Possui experiência na área de docência informática, física, química e matemática, com ênfase em desenvolvimento de websites e design gráfico e experiência na área de artes, com ênfase em pinturas e desenhos realistas. Fundador do Projeto Mistérios do Universo, colaborador, editor, tradutor e colaborador da Sociedade Científica e do Universo Racionalista. Membro da Associação Paraibana de Astronomia. Pai, nerd, geek, colecionador, aficionado pela arte, pela astronomia e pelo Universo. Curriculum Lattes: http://lattes.cnpq.br/8938378819014229
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga
Comentários
0 Comentários

Newsletter