Select Menu
» » » » Por que a "Lua azul" tem esse nome?
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Uma lua azul é a designação dada a uma lua cheia adicional que aparece em uma subdivisão de um ano: ou uma terceira de quatro luas cheias em uma estação, ou uma segunda lua cheia em um mês do calendário comum.

A termo não tem nada a ver com a cor real da lua, embora uma literal "lua azul" (a lua que apareça com um tom de azul) pode ocorrer em certas condições atmosféricas: por exemplo, as cinzas das erupções vulcânicas fazem com que partículas na atmosfera dispersem a luz azul [1].

Definição

O termo tradicionalmente se refere a uma lua cheia "extra", onde um ano que normalmente teria 12 luas completas tem 13. A referência "lua azul" é aplicada à quarta lua cheia em uma estação com três luas cheias, corrigindo o tempo do último mês de uma estação. Isso acontece a cada dois ou três anos (sete vezes no ciclo metônico de 19 anos) [2].




Uma lunação (um ciclo lunar médio) é de 29,53 dias. Há cerca de 365,24 dias em um ano tropical. Portanto, cerca de 12,37 lunações (365,24 dias divididos por 29,53 dias) ocorrem em um ano tropical. No calendário gregoriano amplamente utilizado, há 12 meses (a palavra mês, em inglês "month", é derivada da lua, em inglês, "moon") em um ano, e normalmente há uma lua cheia a cada mês. Cada ano civil contém cerca de 11 dias a mais do que o número de dias em 12 ciclos lunares. Os dias extras se acumulam, então a cada dois ou três anos (sete vezes no ciclo metanálico de 19 anos), há uma lua extra cheia. A lua cheia extra necessariamente cai em uma das quatro estações, dando a esta temporada quatro luas cheias em vez dos três habituais e, portanto, uma lua azul.



Origem do termo

A versão mais aceita da origem do termo "lua azul" surgiu pela da etimologia popular, o "azul" (do inglês, blue) substituiu o termo do inglês antigo, "belewe" ou, na tradução, "trair". O significado original teria sido "lua traidora", uma vez que uma lua extra era considerada "traiçoeira", no sentido que as pessoas teriam que continuar a fazer seu jejum por mais um mês, de acordo com as tradições católicas da época da Quaresma.

Interpretação errada 


Entre o século XIX e início do século XX, o chamado (Farmer's Almanac (Almanaque dos Fazendeiros), listou datas da lua azul para os agricultores. Estes correspondem à terceira lua cheia em um quarto do ano quando haviam quatro luas cheias (normalmente um quarto de ano tem três luas cheias). Foram atribuídos nomes para 

as luas cheias de cada lunação em uma estação. As estações utilizadas foram as do ano tropical médio, de comprimento igual, em oposição às estações astronômicas que variam em comprimento, uma vez que a velocidade média Terra em sua órbita ao redor do sol não é uniforme.


De acordo com o almanaque, uma "lua azul" é a terceira lua cheia em qualquer período entre solstício e equinócio, ou entre um equinócio e um solstício, (isso é calculado usando o ano tropical médio), que contém quatro luas cheias.

O artigo de 1946 da revista Sky and Telescope "Once in a Blue Moon" de James Hugh Pruett apresentou uma interpretação erada do Almanaque dos agricultores de Maine de 1937. "Sete vezes em 19 anos houve - e ainda acontecem - 13 luas cheias em um ano. Isso dá 11 meses com uma lua cheia cada e um mês com duas. Esta segunda lua cheia no mesmo mês, interpreto eu, é chamada de Lua Azul."[4]. A adoção generalizada da definição de uma "lua azul" como a segunda lua cheia em um mês seguiu seu uso no popular programa de rádio StarDate em 31 de janeiro de 1980 e em uma questão no jogo Trivial Pursuit em 1986.

Referências


[1] Gibbs, Philip (May 1997). "Why is the sky blue?". Physics FAQ. Retrieved 4 November 2015. ... may cause the moon to have a blue tinge since the red light has been scattered out.


[3] Sinnott, Roger W.; Olson, Donald W.; Fienberg, Richard Tresch (May 1999). "What's a Blue Moon?". Sky & Telescope. Retrieved September 1, 2012. The trendy definition of 'blue Moon' as the second full Moon in a month is a mistake.

[4] Sinnott, Roger W.; Olson, Donald W.; Fienberg, Richard Tresch (May 1999). "What's a Blue Moon?". Sky & Telescope. Retrieved September 1, 2012. The trendy definition of 'blue Moon' as the second full Moon in a month is a mistake.

. . . ......................

Autor Felipe Sérvulo

Graduado em Física pela UEPB. Mestrando em Cosmologia, gravitação e física das partículas pela UFCG. Possui experiência na área de divulgação científica com ênfase em astronomia, astrofísica, astrobiologia, cosmologia, biologia evolutiva e história da ciência. Possui experiência na área de docência informática, física, química e matemática, com ênfase em desenvolvimento de websites e design gráfico e experiência na área de artes, com ênfase em pinturas e desenhos realistas. Fundador do Projeto Mistérios do Universo, colaborador, editor, tradutor e colaborador da Sociedade Científica e do Universo Racionalista. Membro da Associação Paraibana de Astronomia. Pai, nerd, geek, colecionador, aficionado pela arte, pela astronomia e pelo Universo. Curriculum Lattes: http://lattes.cnpq.br/8938378819014229
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga
Comentários
0 Comentários

Newsletter