O Multiverso poderia ser cheio de vida, mas também problemático, segundo novo estudo - Mistérios do Universo

Breaking

14 de maio de 2018

O Multiverso poderia ser cheio de vida, mas também problemático, segundo novo estudo

.....
.....

De acordo com a atual teoria dominante, se existem outros universos por aí, eles provavelmente não terão vida. Mas agora uma equipe internacional de pesquisadores demonstrou que o Multiverso é mais hospitaleiro do que pensávamos.


A hipótese do Multiverso - em que o nosso Universo observável é apenas um dos muitos universos - é uma explicação proposta para a quantidade não suficientemente grande de energia escura no espaço vazio do nosso Universo.

Nós realmente não sabemos o que é energia escura - é o nome que damos à força que impulsiona a expansão do nosso Universo, que, ao contrário de praticamente tudo que observamos, acelera com o tempo, em vez de desacelerar.

Constitui cerca de 70% do Universo - e esse é o problema. As teorias atuais sobre a origem do Universo predizem que deveria haver muito mais energia escura do que isso.

Mas elas também predizem que, se houvesse mais energia escura do que nossa quantia atualmente calculável, o Universo estaria se expandindo tão rápido que a matéria se diluiria antes de se transformar em estrelas, planetas e galáxias.

O que significa que não existiríamos.

É aí onde o Multiverso entra. Ele propõe que existem muitos universos fora do nosso (e há vários modelos para o que isso pode parecer), cada um com uma proporção diferente de energia escura, e o nosso é aquele que acabou de acontecer. Ter uma quantidade menor para que a vida pudesse se formar.

É uma explicação muito clara - argumentam alguns cientistas -envolvendo raciocínio circular, sem nenhuma evidência observacional, e não testável.

Mas podemos fazer testes em nosso próprio universo - e é exatamente isso que os pesquisadores fizeram.

"O Multiverso foi pensado anteriormente para explicar o valor observado da energia escura como uma loteria - nós temos um bilhete de sorte e vivemos no Universo que forma galáxias bonitas que permitem a vida como a conhecemos", disse o pesquisador Luke Barnes, anteriormente da Universidade de Sydney, agora na Western Sydney University, na Austrália.

"Nosso trabalho mostra que a vida é um jogo de sorte, por assim dizer. A vida é mais especial do que se parecia. Este é um problema para o Multiverso; um enigma permanece."

Liderados pelo físico Jaime Salcido da Durham University no Reino Unido, a equipe criou enormes simulações do Universo, aprimorando a quantidade de energia escura usando o projeto Evolution and Assembly of GaLaxies and their Environments - Evolução e montagem das galáxias e seus ambientes  (EAGLE), uma das simulações mais realistas de nosso universo. Universo.

E eles descobriram que aumentar - ou diminuir - a quantidade de energia escura em nosso Universo, até algumas centenas de vezes a quantidade que observamos, teria apenas um impacto modesto na formação de estrelas e planetas.

"Para muitos físicos, a quantidade inexplicável, mas aparentemente especial, de energia escura em nosso Universo é um quebra-cabeça frustrante", disse Salcido.

"Nossas simulações mostram que mesmo que houvesse muito mais energia escura ou mesmo muito pouco no Universo, isso teria um efeito mínimo sobre a formação de estrelas e planetas, levantando a perspectiva de que a vida pudesse existir em todo o Multiverso."

Também levanta outra questão: se não precisamos do Multiverso para explicar nossa existência, ainda é uma teoria plausível?

Segundo os pesquisadores, eles não descartaram isso. Em vez disso, eles acreditam que a resposta para o enigma da energia escura está em algo que ainda não descobrimos.

"A formação de estrelas em um universo é uma batalha entre a atração da gravidade e a repulsa da energia escura", explicou o físico Richard Bower, da Universidade de Durham.

"Descobrimos em nossas simulações que universos com muito mais energia escura do que o nosso podem formar estrelas. Então, por que há uma quantidade tão insignificante de energia escura em nosso Universo?

"Acho que deveríamos estar procurando uma nova lei da física para explicar essa estranha propriedade do nosso Universo, e a teoria do Multiverso não é suficiente para confortar os físicos."

Os dois artigos foram publicados no The Monthly Notices da Royal Astronomical Society aqui e aqui.

Science Alert
............

Nenhum comentário: