Select Menu
» » » » O que é Galileo?
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga




Desenvolvido pela União Europeia, o Galileo é o sistema de navegação por satélite do continente criado como um projeto civil como alternativa ao projeto norte-americano GPS, ao GLONASS da Rússia e ao Compass da China. O sistema possui 30 satélites, sendo 3 deles suplentes que entram em operação conforme a necessidade. O Galileo ainda conta com dois centros de controle situados em Munique, na Alemanha, e em Fucino, na Itália.

Em 12 de janeiro de 2006, os primeiros sinais do Galileo foram transmitidos por meio do satélite GIOVE-A, que foi colocado em órbita no dia 28 de dezembro de 2005. O segundo satélite, o GIOVE-B, foi lançado no dia 27 de abril de 2008 pelo foguete Soyuz, da base de Baikonur, no Cazaquistão.

Recentemente, um investimento de 2,2 milhões de euros foi realizado para tornar o projeto totalmente operacional e utilizar seus 30 satélites.

No Galileo, o cálculo de posicionamento de um receptor em terra funciona da mesma maneira que no GPS, utilizando a localização do satélite no espaço e o momento como parâmetro para mostrar a posição do receptor. Visto que a medida precisa do momento é fundamental para a precisão do cálculo da distância, um relógio atômico está presente em cada um dos satélites Galileo.

Como forma de segurança para que não aconteça colisão entre os satélites do Galileo e do GPS, o sistema europeu opera a 23.222 quilômetros de altura, diferente do GPS que opera a 24.000 quilômetros. Além disso, o posicionamento dos satélites é distinto com o objetivo de cobrir qualquer área da superfície terrestre. Esses satélites estão em órbitas distantes 120 graus umas da outra.

As vantagens do Galileo são muitas. As principais delas são a maior precisão, maior segurança por transmitir e confirmar pedidos de ajuda em caso de emergência e menor possibilidade de problemas e, consequentemente, de manutenção.

A Agência Espacial Europeia e a Comissão Europeia são responsáveis pelo projeto. China, Israel, Ucrânia, Índia, Marrocos, Arábia Saudita e Coreia do Sul são países participantes no desenvolvimento do Galileo.


 --------------------------
| Fonte: CanalTech |

 --------------------------

......................

Autor Michael Nascimento

Graduado em Física pela UEPB. Mestrando em Cosmologia, gravitação e física das partículas pela UFCG. Possui experiência na área de divulgação científica com ênfase em astronomia, astrofísica, astrobiologia, cosmologia, biologia evolutiva e história da ciência. Possui experiência na área de docência informática, física, química e matemática, com ênfase em desenvolvimento de websites e design gráfico e experiência na área de artes, com ênfase em pinturas e desenhos realistas. Fundador do Projeto Mistérios do Universo, colaborador, editor, tradutor e colaborador da Sociedade Científica e do Universo Racionalista. Membro da Associação Paraibana de Astronomia. Pai, nerd, geek, colecionador, aficionado pela arte, pela astronomia e pelo Universo. Curriculum Lattes: http://lattes.cnpq.br/8938378819014229
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga
Comentários
0 Comentários

Newsletter