Select Menu

_______________

_______________
_______________
» » » » Segure seu cérebro: pode haver o dobro de buracos negros supermassivos no Universo
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Uma nova descoberta duplicou o número de buracos negros supermassivos nos quais os astrônomos pensavam que existiam no nosso Universo.

Buracos negros supermassivos foram tradicionalmente pensados para estarem no centro de todas as grandes galáxias, como a nossa Via Láctea. Agora, um novo estudo sugere que eles também poderia estar no centro de todas as galáxias anãs, também.

Tudo começou há três anos, quando os astrônomos da Universidade de Utah descobriram um buraco negro supermassivo escondido em uma galáxia anã ultra-compacta.

Desde então, ela tem permanecido a menor galáxia conhecida que abrigar um buraco negro gigante, mas agora a mesma equipe descobriu mais duas galáxias anãs com buracos negros supermassivos, sugerindo que talvez o emparelhamento não é tão incomum como inicialmente previsto.

Com uma estimativa de 7 trilhões de galáxias anãs no universo visível, isso pode fazer com que os buracos negros supermassivos sejam muito mais prolíficos do que os astrônomos pensavam.

Ainda mais impressionante, as conclusões do estudo recente revela que, apesar de seu tamanho, estas galáxias anãs contêm buracos negros ainda maiores do que a nossa.

"É bastante surpreendente quando você realmente pensa sobre isso",  diz o pesquisador Chris Ahn.

"Essas anãs ultra-compactas tem em torno de 0,1 por cento do tamanho da Via Láctea, mas eles hospedam buracos negros supermassivos que são maiores do que o buracos negros no centro da nossa galáxia."

Se você precisa de um pouco de de perspectiva para entender a magnitude dos buracos negros maciços, confira o vídeo abaixo:


A pesquisa também responde a algumas perguntas em curso sobre próprias galáxias anãs.

Quando os astrônomos descobriram as primeira galáxias anãs ultra-compactas na década de 1990, eles notaram algo estranho - as galáxias anãs tinham mais massa do que suas estrelas poderiam explicar.  

O novo estudo sugere que os buracos negros supermassivos são responsáveis ​​por esta massa extra - e que também poderia lançar luz sobre como as galáxias foram criadas em primeiro lugar.

"Nós ainda não entendemos completamente como as galáxias se formam e evoluem ao longo do tempo",  diz Ahn. "Esses objetos podem nos dizer como as galáxias se fundem e se chocam." 

Usando óptica adaptativa, uma técnica que permite focalizar as galáxias com mais detalhes, os pesquisadores mediram as duas galáxias anãs ultra-compactas, chamadas VUCD3 e M59cO.

Os resultados revelaram que buraco negro de VUCD3 era 13 por cento da massa total da galáxia e buraco negro de M59cO tinha 18 por cento da sua massa total.  

VUCD3 M59cO Mesclar


Essas leituras são muito maiores do que o buraco negro na Via Láctea, que possui pouco mais do que 01 por cento da massa total da nossa galáxia.


As descobertas descansam a ideia de que estas galáxias anãs são apenas enormes aglomerados de estrelas, compostas por centenas de milhares de estrelas todas criadas ao mesmo tempo. 

Em vez disso, o estudo apoia a ideia de que estas galáxias anãs foram engolidas e rasgadas pela gravidade das galáxias maiores.

"Sabemos que as galáxias fundem-se e combinam-se o tempo todo - que é como as galáxias evoluem", diz um dos pesquisadores, Anil Seth. "A nossa Via Láctea está devorando galáxias enquanto falamos."

"Nossa imagem geral de como as galáxias se formam é que pequenas galáxias se fundem para formar grandes galáxias", acrescentou ele. "Mas nós temos uma imagem muito incompleta disso. As galáxias anãs ultra-compactas nos fornecem um cronograma com mais tempo para observar o que aconteceu no passado."

Galáxias anãs podem ser pequenas, mas elas podem ser a resposta para algumas grandes perguntas.

A pesquisa foi publicada no The Astrophysical Journal .

[Sciece Alert]

. . . ......................

Autor Felipe Sérvulo

Graduado em Física pela UEPB. Mestrando em Cosmologia, gravitação e física das partículas pela UFCG. Possui experiência na área de divulgação científica com ênfase em astronomia, astrofísica, astrobiologia, cosmologia, biologia evolutiva e história da ciência. Possui experiência na área de docência informática, física, química e matemática, com ênfase em desenvolvimento de websites e design gráfico e experiência na área de artes, com ênfase em pinturas e desenhos realistas. Fundador do Projeto Mistérios do Universo, colaborador, editor, tradutor e colaborador da Sociedade Científica e do Universo Racionalista. Membro da Associação Paraibana de Astronomia. Pai, nerd, geek, colecionador, aficionado pela arte, pela astronomia e pelo Universo. Curriculum Lattes: http://lattes.cnpq.br/8938378819014229
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga
Comentários
0 Comentários

Newsletter