Select Menu
» » » » » O eclipse solar parcial de 21 de agosto de 2017: quando, onde e como observar
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

2017 está sendo um ano recheado de efemérides astronômicas, incluindo 3 grandes eclipses esperados, sendo que dois deles aconteceram no mês de fevereiro: o eclipse penumbral lunar de 10 de fevereiro, um eclipse parcial solar (visível de forma anular ou anelar em algumas partes do planeta).


Copyright 2012 by Fred Espenak.

Em 21 de agosto de 2017, grande parte do planeta, principalmente nas Américas, esperam para o último dos grandes eclipses deste ano, que está sendo chamado como o Grande Eclipse Americano, uma vez que, depois de muitos anos, os Estados Unidos poderão observar um eclipse em sua totalidade na qual a sombra da Lua cruzará o país de costa a costa. 

Eclipse solar parcialAqui no Brasil, ao contrário do que aconteceu com o eclipse solar parcial no domingo de Carnaval que tinha melhor visibilidade para os estados do Sul/Sudeste, o eclipse solar parcial de 21 de agosto, terá mais visibilidade para os estados do Norte/Nordeste do país. O gif ao lado mostra os locais onde a umbra da Lua passará. Note que, em algumas partes do mapa, o eclipse ocorrerá quando já estiver próximo do pôr do Sol. 

Quando e onde observar

Logicamente, o eclipse ocorrerá no dia 21 de agosto. A tabela a seguir mostra os lugares onde serão ou não visualizados aqui no Brasil. 



















Fonte: Ver Calendário

Os estados do Sul e alguns estados do Sudeste e Centro Oeste estarão longe do alcance da umbra.

Horários para o Brasil


Na tabela abaixo, você pode conferir os horários de início, máximo e fim do eclipse solar parcial para o Brasil, incluindo também a altitude do sol, a porcentagem de obscuridade. Por exemplo, em Recife, o eclipse começa as 16:28h, seu máximo será as 17:15h e terminará as 17:16h, quando o Sol não estiver mais visível. A obscuridade do Sol será de 29% e terá uma magnitude de 0.404 (a magnitude de um eclipse é a relação do tamanho aparente da Lua com o tamanho aparente do Sol durante um eclipse, quanto maior a magnitude, mais do disco solar será eclipsado



Se presente, (r) significa o eclipse está em andamento ao nascer do sol, enquanto o (s) significa que o eclipse está em andamento ao pôr do sol. Clique para imagem maior. Fonte: Ver Calendário. 

Como observar o eclipse


A primeira dica para se observar um eclipse solar, seja parcial, total ou anular, é nunca olhar diretamente para o Sol sem nenhuma proteção! Olhar para o sol pode causar danos irreparáveis à sua visão.

Em segundo lugar, tenha em mente que você deverá proteger sua visão quando estiver observando o eclipse pois, apesar do Sol ser uma estrela que está a 150 milhões de Km, ele ainda oferece perigo devido a sua intensa radiação UV e infravermelha. Métodos como observar através de uma lâmina de Raios-x usada ou observar através de plásticos escuros são igualmente perigosos e não possuem eficácia para filtrar os raios nocivos do Sol. 


O uso de filtros solares ou vidros/mascaras de soldador (de numeração 14 ou maior), são as principais ferramentas para se observar seguramente o eclipse solar, apesar de que são passíveis de defeito e não serem 100% seguros. O método mais seguro para se observar um eclipse é a projeção indireta, através de um anteparo ou até mesmo usando um telescópio ou binóculos. Neste infográfico e neste site, você poderá aprender passo a passo a fazer uma projeção com total segurança.


Fiquem atentos às nossas dicas e bons céus a todos! 
Fontes: Ver Calendário

. . . ......................

Autor Felipe Sérvulo

Graduado em Física pela UEPB. Mestrando em Cosmologia, gravitação e física das partículas pela UFCG. Possui experiência na área de divulgação científica com ênfase em astronomia, astrofísica, astrobiologia, cosmologia, biologia evolutiva e história da ciência. Possui experiência na área de docência informática, física, química e matemática, com ênfase em desenvolvimento de websites e design gráfico e experiência na área de artes, com ênfase em pinturas e desenhos realistas. Fundador do Projeto Mistérios do Universo, colaborador, editor, tradutor e colaborador da Sociedade Científica e do Universo Racionalista. Membro da Associação Paraibana de Astronomia. Pai, nerd, geek, colecionador, aficionado pela arte, pela astronomia e pelo Universo. Curriculum Lattes: http://lattes.cnpq.br/8938378819014229
«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga
Comentários
0 Comentários

Newsletter