A verdadeira história do Natal - Mistérios do Universo

Breaking

19 de dezembro de 2014

A verdadeira história do Natal

.....
.....

A origem do Natal 


Ao contrário do que muitos pensam, o Natal não é uma festa cristã. A prática de festejar o Natal foi introduzida na igreja no fim do século IV. A palavra "Natal" em inglês é Christmas, a união de duas palavras, christ e mass que significa missa de Cristo ou missa de natal. Natal, como o nome já se refere, etimologicamente, é refere-se ao nascimento de Jesus.


O dia 25 de dezembro foi escolhido porque coincidia com os festivais pagãos que celebravam a Saturnália e o solstício de inverno, em adoração ao deus-Sol, o Sol invictus. O deus-sol é muito provavelmente Ninrode, o deus pagão mencionado em Gênesis 10:8-10. Saturnália, do latim saturnale, indica o deus Saturno ou as festas em sua honra. Já o Sol invictus, é o festival de inverno chamado de "A natividade do sol". A festa solar do natalis invicti (natividade do sol inconquistado) era celebrada em 25 de dezembro e não é por acaso.  A escolha da data é baseada na observação dos corpos celestes e, para os povos do norte, representava o dia mais longo do ano, o solstício de inverno, que começara naquela data. Hoje sabemos que a data corrigida do solstício de inverno é 21 ou 22 de dezembro). 



A fim de justificar a celebração do natal, muitos tentaram identificar os elementos pagãos com símbolos bíblicos. Jesus, por exemplo, foi identificado com o deus-sol. Tertuliano teve que assegurar que o sol não era o Deus dos cristãos, e Agostinho denunciou a identificação herética de Cristo com o Sol. O salmo 84:11 diz que Jesus é Sol. Mas este versículo não está dizendo que Jesus é o deus sol ou que o Sol é um deus, mas que assim como o sol ilumina toda a humanidade, Jesus é a Luz que alumia todos os homens (Veja Lc.1:78,79 e Jo.1:9). O Termo Sol, nesse caso, poderia significar uma nova luz, no caso de Jesus e dos outros deuses, seria uma luz para a humanidade. O paganismo da Igreja católica ainda é muito visto em obras de arte e nos símbolos, porém não tão divulgada. 



Árvore de Natal 



A árvore de natal também tem suas origens no paganismo conforme já falamos aqui.




Estrela de Belém



Há várias explicações do que pode ter sido a estrela de Belém nos dias circundaram o nascimento de Jesus. Segundo o astrônomo Karlis Kaufmanis, a Estrela de Belém pode ter sido, na verdade, uma conjunção tripla de Júpiter, Saturno e da constelação de peixes, argumento este dito no século XX. Outra hipótese recente diz que a estrela foi uma Supernova ou Hipernova que teria explodido perto da galáxia de Andrômeda na época. Já outra explicação aponta para o cometa Halley.




Dr. Karlis Kaufmanis era um professor de astronomia na Universidade de Minnesota. Ao longo dos anos ele fez uma pesquisa considerável sobre a Estrela de Belém. Ele desenvolveu uma explicação do fenômeno astronômico e tornou-se conhecido por sua palestra sobre o tema. Em essência, Dr. Kaufmanis descreve que o nascimento de Cristo foi anunciado, e não por um único objeto no céu, mas por um evento astronômico que Júpiter, o astro-rei, e Saturno, a estrela do Messias, apareceram juntos na constelação piscis, ou peixes, conhecido por astrólogos antigos como a Casa dos hebreus, no céu do leste ao nascer do sol, ou pelo surgimento helicoidal (nascer helíaco). Kaufmanis supõe que os magos eram astrólogos que previram, juntamente com a antiga tradição hebraica, que este evento tão esperado iria anunciar o nascimento do Messias em Belém.



O fato de que o evento ocorreu é inegável. Ele pode ser matematicamente calculado, e pode ser encontrado gravado em antigas tábuas de argila hoje, onde, de acordo com Kaufmanis, a frase, "Jupiter e Saturno em Peixes" é repetida uma e outra vez como se nada mais importante estivesse acontecendo naquele momento. Dr. Kaufnanis deu esta palestra mais de 1000 vezes durante sua carreira, mas, aparentemente, nunca foi registrada comercialmente. Dr. Kaufmanis morreu no ano de 2003.



Coincidências mitológicas 



Segundo os defensores da Teoria da Ressurreição do Terceiro Dia, vários outras divindades de mitologias muito anteriores a Jesus, como Horus, Átis, Krishna, Mitra, Dionísio, Buda, têm como elemento vital a sua crença na ressurreição no terceiro dia após as suas mortes, também tiveram discípulos que os acompanharam, faziam milagres e nasceram de uma Virgem Imaculada em "25 de dezembro". Segundo os defensores dessa Teoria, algumas destas lendas podem ter sofrido influência direta da história de Jesus, já que os cultos coexistiram com o cristianismo primitivo, mas certamente a imensa maioria surgiu milhares de anos antes do nascimento do mesmo. Entretanto, muitos acrescentam mais similaridades nos deuses antigos por conta própria para criar mais semelhanças.



Apesar de que os deuses apresentem, evidentemente, diferentes dados de diferentes mitos e datações históricas, uma vez que estamos tratando de várias religiões e mitos, a data do nascimento para todos eles aponta unica e exclusivamente para o Solstício de Inverno e nada mais. 



O Natal, bem como o Ano Novo, Festas Juninas e até mesmo o Carnaval são, por sua vez, festas totalmente criadas para festejar os astros celestes.  Agora que vocês sabem a verdadeira essência do Natal, nada melhor que desejar um FELIZ NATAL, afinal, o conhecimento é o verdadeiro presente para a humanidade!


FONTES: 


  1. The Star of Bethlehem: a Type Ia/Ic Supernova in the Andromeda Galaxy
  2. A estrela de Belém por Karlis Kaufmanis 
  3. Chinese and Babylonian Observations
  4. Natal uma festa pagã 
  5. O Livro de Ouro do Universo - Ronaldo Mourão
............